07:09 13 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Membros do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica iraniano (foto de arquivo)

    Irã: tentativas dos EUA de demonizar nossas tropas de elite serão consideradas terrorismo

    © AP Photo/ Vahid Salemi
    Mundo
    URL curta
    331

    Segundo a mídia, o porta-voz do Irã afirmou que, ao definirem o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica – ramo islâmico das Forças Armadas do país – como grupo terrorista, os EUA "se juntarão ao campo terrorista".

    "O mundo deve agradecer ao Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica pelo combate ao terrorismo, especialmente contra o Daesh [grupo terrorista proibido na Rússia]", afirmou o porta-voz iraniano, Mohammad Baqer Nobakht, em discurso transmitido pela televisão iraniana, citado pela Reuters.

    Por isso, segundo ele, caso seja escolhida uma atitude contra o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, ou seja, caso o definam como grupo terrorista, os Estados Unidos "se juntarão ao campo terrorista", acrescentou.

    Segundo o porta-voz, os Estados Unidos não devem pressionar o Irã na hora de negociar assuntos regionais. Em julho de 2017, Washington introduziu novas sanções por causa do programa de mísseis iraniano. Em resposta, Irã aumentou o financiamento de seu programa.

    Mais cedo, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano advertiu que a reação do país "será dura, decisiva e esmagadora", caso os Estados Unidos igualem suas tropas de elite, ou seja, Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, a grupos terroristas.

    Espera-se que o presidente norte-americano, Donald Trump, venha a designar o serviço de segurança mais poderoso do Irã — o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica — como organização terrorista, pois, na semana que vem, ele lançará uma estratégia mais dura em relação ao Irã.

    Mais:

    Guardiões da Revolução Islâmica procuram considerar exército dos EUA equivalente a Daesh
    Trump acusa Irã de financiamento da Coreia do Norte
    Tags:
    terrorismo islâmico, Daesh, Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, Donald Trump, EUA, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik