19:01 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Polícia guarda a entrada na embaixada da Turquia em Washington, EUA

    Especialista: posições distintas sobre Síria, Rússia e curdos destroem relação EUA-Turquia

    © AFP 2017/ SHAWN THEW
    Mundo
    URL curta
    390

    Turquia suspendeu todas as emissões de vistos de não-imigrantes para norte-americanos em representações diplomáticas turcas nos Estados Unidos. Quanto à decisão turca, o especialista político, Dmitry Zhuravlev, ressaltou para o serviço russo da Rádio Sputnik que Ancara nunca antes tinha endurecido tão rigorosamente suas relações com Washington.

    Mais cedo, foi informado que a embaixada da Turquia em Washington decidiu neste domingo (8) suspender a emissão de vistos de não-imigrantes para norte-americanos em todas as representações diplomáticas turcas nos Estados Unidos. A decisão foi tomada depois de Washington ter reduzido a emissão de vistos para turcos.

    "Os recentes eventos forçaram o governo turco a reavaliar o compromisso do governo dos Estados Unidos com a segurança das instalações e funcionários da missão turca", diz a declaração da embaixada turca em Washington.

    A decisão aconteceu horas depois de a missão dos EUA na Turquia ter reduzido a emissão de vistos para turcos, justificando que precisa "reavaliar" o compromisso da Turquia com a segurança de seus funcionários.

    A retaliação norte-americana tem como contexto a detenção de um funcionário do Consulado dos EUA em Istambul dias atrás, acusado de ligações com o clérigo Fethullah Gulen, que, segundo Ancara, seria o responsável pela tentativa de golpe militar ocorrida em julho de 2016 na Turquia.

    Sobre isso, o diretor-geral do Instituto de Problemas Regionais e especialista político, Dmitry Zhuravlev, partilhou sua opinião ao serviço russo da Rádio Sputnik. Para ele, a resposta semelhante de Ancara é um sinal certeiro para Washington.

    "Assuntos de vistos são sempre questão de cooperação entre países. Por isso, a decisão em questão tomada pela parte turca significa que a Turquia busca reduzir a cooperação com os Estados Unidos. Primeiramente, [a decisão] está ligada aos posicionamentos distintos dos dois países, principalmente quanto à crise síria, interação com a Rússia, problema curdo e uma série de assuntos diferentes. Mas Síria, Rússia e curdos são, provavelmente, os mais importantes", declarou o especialista político.

    Além disso, ele destacou que "a Turquia, desde os tempos da Segunda Guerra Mundial, não tinha endurecido a um nível tão rigoroso suas relações com os Estados Unidos, mas, sim, sempre foi um aliado deles".

    "O fato de o governo turco ter tomado tal posição significa dizer que o papel dos norte-americanos foi reduzido nessa situação, que [os EUA] cometeram mais um erro".

    Mais:

    Analista militar: Turquia provoca 'fúria' dos EUA com compra dos S-400 russos
    Líderes dos EUA e da Turquia avisam sobre 'consequências graves' do referendo no Curdistão
    EUA podem introduzir sanções contra Turquia devido à compra dos S-400 russos
    Mídia: militares dos EUA sofrem ataques de rebeldes sírios apoiados pela Turquia
    Irã e Turquia estão se unindo para enfrentar os EUA na Síria
    Tags:
    posição, vistos, embaixada, suspensão, relações bilaterais, governo, cooperação, Segunda Guerra Mundial, Curdistão, Ancara, Turquia, Síria, EUA, Washington, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik