19:07 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, ouve uma pergunta de jornalista durante o seu ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, após visita a Moscovo, na Rússia, na quarta-feira, 12 de abril de 2017.

    Tillerson: EUA continuarão exercendo 'pressão pacífica' sobre a Coreia do Norte

    © AP Photo / Ivan Sekretarev
    Mundo
    URL curta
    1611

    O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, declarou neste domingo (27) que o disparo de três mísseis balísticos pela Coreia do Norte durante esta semana foi um ato provocativo, mas que os Estados Unidos continuarão buscando uma resolução pacífica.

    "Nós consideramos que foi um ato provocador contra os Estados Unidos e os nossos aliados", disse Tillerson em uma entrevista à Fox News Sunday.

    "Vamos continuar a nossa campanha de pressão pacífica como descrevi, trabalhando com aliados, trabalhando com a China também para ver se podemos levar o regime de Pyongyang à mesa de negociações", acrescentou Tillerson.

    Há um mês, a Coreia do Norte realizou o seu segundo teste com um míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês), o qual foi considerado bem-sucedido por Pyongyang. Dias depois, o país ameaçou atacar a ilha de Guam, plano que foi descartado por enquanto pelo governo de Kim Jong-un.

    Os EUA e seus aliados, nomeadamente o Japão e a Coreia do Sul, estão em alerta após o regime de Kim Jong-un ter realizado em julho dois lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais.

    Mais:

    'Caçando ianques': Coreia do Norte lança jogo que permite matar soldados dos EUA (FOTO)
    Parlamento russo: EUA provocam Coreia do Norte a lançar mísseis balísticos
    Coreia do Norte realiza novo teste balístico com três mísseis, dizem EUA
    Coreia do Norte ameaça Grã-Bretanha com 'fim miserável' se apoiar EUA
    Tags:
    míssil balístico intercontinental, pressão, Kim Jong-un, Rex Tillerson, Coreia do Norte, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik