15:45 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin, presidente da Rússia

    Jornalista americano assegura que Putin é arquiteto da atual 'guerra civil' nos EUA

    © Sputnik / Alexey Druzhinin
    Mundo
    URL curta
    652213
    Nos siga no

    O jornalista e produtor americano, ex-chefe da emissora NY Times TV, Michael Rosenblum, publicou no site do Huffington Post uma "breve história" de como Vladimir Putin venceu a Terceira Guerra Mundial.

    De acordo com Rosenblum, o presidente russo, sendo um mestre de judô, tem plena consciência de como usar as vulnerabilidades do inimigo contra ele mesmo.

    "Putin sabia que nunca poderia concorrer [com os EUA] no que se trata de armas convencionais, por isso investiu todo seu dinheiro em sistemas de armas completamente novos no ciberespaço", escreve o autor, assinalando que um milhão de pessoas equipadas com computadores portáteis e smartphones podem causar mais danos que um milhão de pessoas armadas com fuzis.

    Era para esta guerra que os EUA não estavam preparados, afirma Rosenblum no Huffington Post, por isso a Rússia a ganhou.

    Durante as presidenciais de 2016, afirma o autor, Putin usou as armas cibernéticas pela primeira vez, com o fim de fazer com que o posto do presidente fosse ocupado por um "papalvo egocêntrico que seja fácil de manipular".

    De acordo com o jornalista, depois de muitos anos de treinamento no KGB (a principal entidade de inteligência soviética), lidar com um presidente sem firmeza como Trump não foi nada de especial para Putin.

    "Colocando seu fantoche na Casa Branca, eles o soltaram para que ele, mesmo sem se dar conta, desencadeasse uma guerra civil nos EUA. Foi fácil", assinala.

    Segundo ele, foi exclusivamente a intervenção russa que contribuiu para o reforço da extrema direita nos EUA, e foi a Rússia que a armou através de seus ciberataques.

    Antes de Trump, a extrema direita era "um grupo pequeno, mas já armado até os dentes", dado que tinha "mais armas de fogo que o Exército Vermelho", prossegue Rosenblum. Porém, com a sua chegada, começou aparecendo um grande número de artigos sobre "a violência de extrema esquerda", a "ameaça aos verdadeiros americanos" e sobre o direito dos "oprimidos a derrubar seus opressores". Tudo isso "veio de Moscou", acredita o autor.

    Como consequência, em alguns meses Washington, bem como o resto do país, se tornou em uma versão americana de Mogadíscio, a capital somali: "As milícias armadas andam pelas ruas, a lei e a ordem são violadas, toda a nação foi vencida por dentro."

    "Os americanos se destruíram a si próprios. Foi assim que terminou a Terceira Guerra Mundial", resume o colunista. Contudo, este não especificou se seu texto é apenas um fruto de sua imaginação ou se ele na verdade pensa assim.

    Mais:

    Relações entre Rússia e EUA não devem melhorar em breve, diz Putin
    Putin sobe o tom: novas sanções dos EUA são 'cínicas' e destroem a lei internacional
    Putin insinua possível candidatura nas presidenciais de 2018
    Tags:
    extrema direita, cibersegurança, KGB, Donald Trump, Vladimir Putin, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar