06:52 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Tóquio: tv japonesa relata lançamento de míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte

    Chanceler alemão apoia mediação chinesa para resolver tensão na península da Coreia

    © REUTERS / Toru Hanai
    Mundo
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    A Alemanha apoia a tentativa de mediação chinesa para a tensão na península da Coreia, afirmou o chanceler alemão Sigmar Gabriel nesta terça-feira (15).

    Em junho, uma proposta de "congelamento simultâneo" foi feita pela China e apoiada pela Rússia. O acordo envolveria o fim dos testes de mísseis da Coreia da Norte e o encerramento dos exercícios militares conjuntos entre Estados Unidos e Coreia do Sul. A iniciativa foi rejeitada por Washington. Pyongyang, no entanto, ainda não emitiu uma resposta oficial sobre o assunto.

    "A Alemanha agradece o importante papel desempenhado pela China na resolução da questão nuclear da Península da Coreia. A Alemanha entende e apoia a iniciativa de 'congelamento simultâneo' proposta pela China", disse Sigmar Gabriel durante a conversa telefônica com seu homólogo chinês, Wang Yi, de acordo com a chancelaria de Pequim.

    Sigmar Gabriel afirma que todas as partes precisam levar em consideração as lições da história — inclusive as de 2017 — para evitar que as tensões saiam do controle.

    "Berlim está pronta para continuar trabalhando com a China e promover conjuntamente a solução pacífica do problema nuclear da Coreia do Norte", ressaltou o chanceler alemão.

    A situação na península coreana está tensa após seguidos testes de mísseis balísticos de Pyongyang.

    Mais:

    EUA em alerta com relatos de fornecimento de tecnologia da Ucrânia à Coreia do Norte
    Satélites dos EUA registram movimentação de lançadores de mísseis da Coreia do Norte
    Ucrânia encontra 'mão de Moscou' na publicação do artigo do NYT sobre Coreia do Norte
    Político sul-coreano quer 'inundar' Coreia do Norte com informações para derrubar regime
    Venezuela é mais indefesa que Coreia do Norte: que país será o primeiro alvo dos EUA?
    Ucrânia reconhece que suas tecnologias de mísseis podem ter ido parar na Coreia do Norte
    Pentágono: ataque da Coreia do Norte pode levar a hostilidades 'muito rapidamente'
    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores da China, Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Wang Yi, Sigmar Gabriel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar