06:39 28 Março 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    126313
    Nos siga no

    O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, declarou nesta sábado (29) que EUA esperam que a cooperação com a Rússia sobre os principais temas continue e que as sanções contra o país não sejam mais necessárias.

    "A votação quase unânime sobre o projeto de lei das sanções no Congresso demonstram o desejo dos americanos de ver que a Rússia está tomando medidas para melhorar as relações com os EUA. Nós esperamos que a cooperação com a Rússia sobre os principais problemas mundiais continuem e as sanções em vigor não sejam mais necessárias", disse Tillerson em comunicado. 

    O secretário de Estado também observou que os EUA vão "trabalhar estreitamente" com seus "amigos e parceiros" para garantir que o seu "sinal para a Rússia, Irã e Coreia do Norte seja claramente entendido".

    Na última quinta-feira, o Senado dos EUA aprovou um projeto de lei sobre as sanções contra a Rússia, Irã e Coreia do Norte. No início desta semana, a Câmara dos Representantes aprovou o documento por uma esmagadora maioria (419 votos a 3). Na sexta-feira, a Casa Branca informou que Trump vai ratificar o projeto de lei.

    O projeto de lei exige medidas restritivas adicionais contra o setor econômico da Rússia, além de praticamente privar o presidente dos EUA da possibilidade de cancelar sanções novas ou já existentes sem a devida aprovação pelo Congresso, limitando significativamente a liberdade das ações do presidente dos EUA na política externa.

    Mais:

    Irã rejeita novas sanções de Washington e mantém programa de mísseis
    Novas sanções antirrussas dos EUA devem aproximar UE da Rússia
    Moscou: sanções dos EUA são forma de atemorizar todo o mundo, Rússia nunca vai se submeter
    Partido alemão de esquerda se levanta contra sanções antirrussas de Washington
    Putin sobe o tom: novas sanções dos EUA são 'cínicas' e destroem a lei internacional
    Tags:
    relações bilaterais, sanções econômicas, Congresso dos EUA, Rex Tillerson, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar