14:46 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Bandeiras da Rússia e da União Europeia

    Novas sanções antirrussas dos EUA devem aproximar UE da Rússia

    © Sputnik / Vladimir Sergeev
    Mundo
    URL curta
    17250

    As relações entre UE e Rússia podem se tornar mais construtivas, graças à decisão dos Estados Unidos de adotar novas sanções contra Moscou, disse o presidente da Comissão de Assuntos Internacionais da Duma Estatal da Rússia, Leonid Slutsky, à emissora Rossiya 24.

    Na quinta-feira, o Senado dos EUA aprovou uma lei que pretende impor novas pesadas sanções contra a Rússia. A novas medidas, inclusive, afetam empresas que investem em projetos energéticos russos. Para o documento entrar em vigor, basta a assinatura do presidente norte-americano Donald Trump, que está avaliando o projeto.

    A França e a Alemanha já se manifestaram contra o projeto de lei, pois este afeta indústrias europeias e os seus interesses comerciais.

    "Tenho certeza de que a Europa estará pensando com cada vez mais seriedade sobre as relações Rússia-UE…De forma lenta, mas gradual, [as relações] se tornarão mais construtiva", disse Slutsky.

    Ele ressaltou que a União Europeia não está pronta para adotar de forma automática medidas semelhantes às novas sanções dos EUA.

    "Em termos de senso comum, isso traz a Rússia para mais perto de Bruxelas, prejudicada por seus aliados estratégicos de Washington. Eles [EUA e UE], infelizmente, possuem sérias divergências em questões-chave nos últimos 12-18 meses", acrescentou Slutsky.

    Mais:

    Partido alemão de esquerda se levanta contra sanções antirrussas de Washington
    Japão amplia sanções contra Pyongyang, afetando também empresas chinesas
    Putin sobe o tom: novas sanções dos EUA são 'cínicas' e destroem a lei internacional
    Senado dos EUA vota sanções contra Rússia, Irã e Coreia do Norte
    Nova onda de sanções antirrussas fará 'desamigar' o próprio Ocidente?
    Tags:
    interesses econômicos, sanções, relações bilaterais, Duma, Leonid Slutsky, UE, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik