11:12 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo desce do avião presidencial da Força Aeroespacial russa (foto de arquivo)

    Na viagem à cúpula do G20, Putin evita sobrevoar países da OTAN

    © Sputnik / Aleksey Nikolsky
    Mundo
    URL curta
    32410
    Nos siga no

    O avião do líder russo, Vladimir Putin, se desviou 500 quilômetros para evitar entrar nos espaços aéreos da Polônia e dos países do Báltico, segundo um portal especializado que revela os roteiros das aeronaves por todo o mundo.

    Assim, os dados do FlightRadar 24 mostram que, em vez de sobrevoar a Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia, o avião com o número de registro RA-96022 cruzou os territórios da Finlândia e Suécia, conhecidas por sua política de neutralidade.

    Aeronave de Vladimir Putin evita sobrevoar países do Báltico e Polônia ao viajar para a cúpula do G20 em Hamburgo
    Aeronave de Vladimir Putin evita sobrevoar países do Báltico e Polônia ao viajar para a cúpula do G20 em Hamburgo

    Embora não se informem as razões para tal decisão, vários jornalistas indicam que isso, provavelmente, tem a ver com o recente incidente com o avião do ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, que foi escoltado em 21 de junho por caças F-16 poloneses que estavam patrulhando o espaço aéreo sobre os países do Báltico no âmbito de uma missão da OTAN.

    O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, acabou por não comentar o percurso de Putin.

    "Eu deixarei sem comentários a sua pergunta. Já que as questões relacionadas com as deslocações do presidente tocam diretamente a sua segurança", afirmou Peskov aos jornalistas.

    "A segurança do presidente é garantida a nível adequado", sublinhou.

    Mais:

    Putin e Trump discutem Ucrânia, Síria, terrorismo e segurança cibernética no G20
    Caças Su-27 abatem 'inimigo' nos céus do Báltico
    Opinião: Aviões da OTAN são muito mais ativos do que os russos no Báltico
    Tags:
    percurso, avião, G20, OTAN, Vladimir Putin, Polônia, Países Bálticos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar