20:39 16 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Soldados dos países membros da OTAN em cerimônia de abertura dos exercícios militares Saber Strike 2015

    Gastos militares dos membros da OTAN em 2017 chegarão aos US$ 946 bilhões

    © AP Photo/
    Mundo
    URL curta
    2213

    O orçamento total na área de defesa dos 29 estados membros da OTAN chegará a quase US$ 946 bilhões em 2017. Os Estados Unidos serão responsáveis por US$ 683,4 bilhões dessa soma. A contribuição de outros membros da aliança deve aumentar em ritmo mais rápido nos próximos oito anos, segundo o relatório da OTAN, divulgado nesta quinta-feira.

    Na quarta-feira, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, revelou aos jornalistas que as despesas militares dos países membros europeus e do Canadá deverão aumentar pelo terceiro ano consecutivo e, segundo estimativas preliminares, o crescimento das despesas será de 4,3%.

    Em 2017, as despesas dos países membros da aliança para necessidades de defesa chegarão aos US$ 945,96 bilhões, um crescimento em relação aos US$ 920,11 bilhões de 2016, informa o relatório da organização sobre as despesas do setor de defesa em 2010-2017.

    Em 2014, durante a cúpula no País de Gales, os países da OTAN comprometeram-se a aumentar as despesas de defesa para 2% do PIB em 10 anos. O tema ganhou impulso quando Donald Trump foi eleito presidente dos EUA. Tanto durante a campanha eleitoral, quanto após a vitória, Trump criticou os aliados da OTAN por não despender recursos suficientes para a defesa. Em sua primeira reunião ministerial em fevereiro, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, James Mattis, pediu aos parceiros que aumentassem o financiamento em defesa. Exigências semelhantes foram feitas pelo secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, em uma reunião ministerial no final de março.

    Os Estados Unidos gastam bem mais de 2% do PIB com a defesa — 3,58% em 2017. Os outros membros da OTAN que superam o índice de dois por cento em 2017 são a Grécia, com 2,32, o Reino Unido e a Estônia, com 2,14% cada, a Romênia, com 2,02, e a Polônia, com 2,01 por cento.

    Durante uma cúpula de maio de 2017 em Bruxelas, os aliados decidiram elaborar planos nacionais anuais para aumentar seus gastos de defesa, cumprindo as demandas dos EUA e as decisões tomadas no País de Gales. A primeira série de relatórios sobre a implementação desses planos estará pronta em dezembro.

    Mais:

    Rússia se preocupa com aumento de 40% dos gastos militares dos EUA na OTAN
    Secretário-geral da OTAN: Aliança Atlântica deve aumentar gastos em defesa
    Nem todos querem: EUA força membros da OTAN a aumentarem gastos militares
    Para cientista político, Trump ainda não sabe para que serve a OTAN
    Tags:
    gastos militares, defesa, OTAN, Jens Stoltenberg
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik