10:07 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Candidato republicano à presidência americana, Donald Trump, durante o debate organizado pela emissora CNN

    Ex-agente da CIA desmascara 'segredo sujo' da imprensa americana

    © AP Photo/ Mark J. Terrill
    Mundo
    URL curta
    154003160

    John Kiriakou, ex-funcionário da CIA, explicou por que a mídia americana não está disposta a abandonar o tema relacionado com as alegadas "ligações russas" do presidente Donald Trump.

    Em uma entrevista ao RT, Kiriakou afirmou: já faz muito que entre os funcionários dos serviços secretos se fala que a história sobre a "intervenção russa" não tem nenhum fundamento, porém, para os canais americanos isso não tem importância alguma.

    "O pequeno segredo sujo das mídias americanas consiste em que elas estão todas trabalhando para o mesmo, todas elas são propriedade de empresas gigantes. Além disso, todas elas estão preocupadas com os índices financeiros", frisou.

    O ex-funcionário da inteligência americana observou que a única maneira de as mídias obterem lucros consiste na venda de espaço publicitário, por isso, os jornais e as revistas tentam aumentar sua popularidade entre os leitores usando notícias "bombásticas".

    "Muitas vezes a verdade se perde no meio de tudo isso", resumiu.

    Mais cedo, surgiu um vídeo na Internet no qual o produtor da emissora CNN John Bonifield afirma que o tema das "ligações russas" do presidente Donald Trump está sendo "empolado", já que isso aumenta os indicadores de popularidade de uma edição. Vale destacar que Bonifield não tem nada que ver com a cobertura dos temas russos e se ocupa de reportagens sobre medicina.

    Mais:

    Usuários e mídia apanham CNN criando notícias falsas
    Chancelaria russa apela ao CNN para que desminta sua história do menino de Aleppo
    CNN remove matéria sobre 'ligações' da equipe de Trump com a Rússia
    Tags:
    guerra midiática, russofobia, propaganda, CNN, CIA, RT, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik