22:29 22 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    561672
    Nos siga no

    A Coalizão internacional liderada pelos EUA realizou nesta terça-feira (6) um novo ataque conta forças pró-governamentais sírias.

    Em comunicado oficial, a coalizão informou que eliminou forças adicionais que apoiam o regime sírio na região da estabelecida zona de segurança do conflito no sul do país. De acordo com o Pentágono, mais de 60 militares sírios entraram na zona de segurança ameaçando a coalizão. 

    "Apesar dos alertas anteriores, as forças pró-regime entraram na acordada zona de segurança com um tanque, artilharia, armas antiaéreas, veículos técnicos armados e mais de 60 soldados que representam uma ameaça para a Coalizão e as forças parceiras na cidade de Tanf", declarou o Pentágono em comunicado. 

    Foi ressaltado também que as forças da coalizão já estão há meses na base de Tanf treinando sírios locais contra as forças do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico). Trata-se da única região em que as forças norte-americanas e britânicas realizam treinamento com rebeldes sírios.  

    Não é a primeira vez que a coalizão realiza um ataque contra forças pró-governamentais sírias na região de Tanf. O mais recente bombardeio da coalizão no sul da Síria foi realizado em 18 de maio.  

    A Rússia informou que exigirá uma sessão extraordinária no Conselho de Segurança da ONU para tratar do mais recente ataque contra Tanf. Moscou classificou o ato como uma "agressão". 

    Mais:

    Coalizão liderada pelos EUA confirma o início da ofensiva em Raqqa, na Síria
    Coalizão liderada pelos EUA mata mais de 30 civis com bombardeio na Síria
    Síria apresenta queixa na ONU contra morte de civis por coalizão dos EUA
    ONU: mais de 100 civis morreram na Síria em ataques da coalizão durantes últimas semanas
    Tags:
    zona de segurança, exército, forças, ataque aéreo, coalizão internacional, EUA, Tanf, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar