00:35 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Líder norte coreano, Kim Jong-un, observa treinamento militar (a foto sem data foi divulgada pela agência de notícias central da Coreia do Norte em 11 de dezembro de 2016)

    Coreia do Norte promete reduzir EUA a cinzas

    © REUTERS / KCNA
    Mundo
    URL curta
    42273

    O principal jornal da Coreia do Norte 'explicou' a Washington o que aguarda os Estados Unidos no caso de um conflito com Pyongyang.

    A retórica antiamericana da imprensa norte-coreana se elevou a um novo patamar, após novas ameaças de Washington de import sanções contra Pyongyang.

    "Os Estados Unidos já demonstraram sua vulnerabilidade. A queda deste país é apenas uma questão de tempo", escreveu o jornal estatal Rodong Sinmun em um artigo publicado nesta sexta-feira.

    A publicação advertiu que "as poderosas forças nucleares" da Coreia do Norte estão prontas para "desferir, a qualquer momento, um golpe contra o território continental dos EUA e as bases norte-americanas na [região] Ásia-Pacífico". As bases militares americanas, inclusive, segundo o órgão de imprensa, "já estão na mira".

    "Depois da República Popular Democrática da Coréia abrir fogo, os Estados Unidos serão reduzidos a cinzas", afirmou o jornal coreano em tom ameaçador.

    A publicação, que é um órgão do Partido dos Trabalhadores, não tem dúvidas de que Pyongyang vai alcançar "a vitória final no combate com Washington". 

    "O destino dos EUA já está selado", conclui o jornal.

    Mais:

    EUA descartam solução militar contra Coreia do Norte em estratégia da era Obama
    Para Donald Trump, Coreia do Norte é um 'grande problema que será resolvido'
    Coreia do Norte promete maior capacidade nuclear e chama esforço dos EUA de 'farsa'
    Coreia do Norte: O que acontece se as tensões finalmente desembocarem em uma guerra?
    Coreia do Norte divulga imagens e vídeo de seu mais recente teste balístico (VÍDEO, FOTOS)
    Tags:
    guerra nuclear, ameaça, Rodong Sinmun, EUA, Coreia do Norte, Pyongyang
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar