15:01 23 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    252
    Nos siga no

    O analista político, Aleksei Panin, falou sobre a conversa entre os dois líderes para o serviço russo da Rádio Sputnik, classificando-a como "ajuste de horas".

    Os chefes de Estado discutiram os planos quanto à coordenação das ações da Rússia e dos EUA na luta contra o terrorismo na Síria e "a situação na península Coreana". 

    Vale destacar que Putin, durante a conversa com Trump, reforçou seu desejo de moderar e diminuir o nível de tensão entre os países. Foi acordado "estabelecer trabalho conjunto destinado à busca de resoluções diplomáticas para regularização do problema". 

    ​Putin e Trump resolveram manter ligações telefônicas e se manifestaram a favor do se encontrar no G20, que será realizado em Hamburgo, bem como reforçar o diálogo entre os ministros das Relações Exteriores para que consigam resolver a crise síria. 

    ​Segundo a assessoria de imprensa do Kremlin, a conversa foi "construtiva e eficaz". 

    A Casa Branca classificou a conversa dos presidentes como "muito boa". Segundo a parte norte-americana, os líderes discutiram a criação "de zonas seguras da desescalada" para que a paz na Síria seja alcançada, a luta contra o terrorismo "em todo o Oriente Médio" e "o melhor modo de resolver a situação em torno da Coreia do Norte". 

    "A conversa durou 30 minutos e foi iniciada por Putin", comunica o Wall Street Journal, citando um funcionário norte-americano. 

    De acordo com o cientista político Aleksei Panin, a conversa marca um "ajuste de horas" entre as políticas dos dois países. Segundo ele, o problema do Oriente Médio entra ativamente na agenda internacional, lembrando os recentes encontros de Putin com a chanceler alemã e com o líder turco, pois a questão síria engloba não somente o país em questão, mas os EUA, Rússia, Alemanha e Turquia. 

    ​"Excelentíssimo Trump é, em um nível preciso, um prisioneiro da situação formada no establishment norte-americano. Qualquer acordo de Trump pode ser destruído pelo simples fato de ter sido considerado por Vladimir Putin como "muito proveitoso". Para que não seja perdida a influência dentro do país, Trump poderia ser obrigado a nivelar o compromisso [com a Rússia]", acrescentou Aleksei Panin ao serviço russo da Rádio Sputnik.

    Segundo ele, a figura de Trump é manipulada pelo sistema. Enquanto Trump não conseguir resolver este problema, é pouco provável que sejam tomadas decisões inovadoras, conclui especialista. 

    Mais:

    Congressista americana: 'Putin e Trump são amigos do peito'
    Porta-voz do presidente russo revela semelhanças entre Putin e Trump
    Tags:
    relações, opinião, analista, diálogo, terrorismo, luta, coordenação, conversa, Casa Branca, Vladimir Putin, Donald Trump, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar