03:27 22 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Kim Jong-un acena com a mão em um gesto de saudação durante a parada militar comemorativa do 105º aniversário de Kim Il-sung, em 15 de abril de 2017

    Trump vs. Kim: quem vencerá e quando?

    © AP Photo/ Wong Maye-E
    Mundo
    URL curta
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)
    7676743410

    Kim Jong-un pode parecer um malvado, mas isso não significa necessariamente que seja louco. Não obstante, no caso de Trump as coisas não estão tão claras, escreve o colunista do CNN, Jonathan Cristol, em seu artigo recente. O especialista analisa qual dos dois líderes é mais imprevisível.

    Os americanos tendem a cometer um erro ao considerar que seus inimigos são loucos, irracionais ou estúpidos, escreve o autor. Nos EUA esperam que outras nações aceitem com alegria qualquer coisa que Washington lhes disser. No entanto, quando o líder de um país decide fazer as coisas à sua maneira, os norte-americanos explicam a sua própria falta de compreensão da situação com os defeitos intelectuais desse líder ", afirma Cristol.

    "Kim Jong-un não é louco. Também não é irracional. Nem sequer é estúpido. […] Nem todos os sistemas políticos são iguais aos dos Estados Unidos. Nem todas as culturas se parecem com a nossa. Os interesses dos outros não são os interesses norte-americanos", acrescenta o jornalista.

    Segundo ele, os Estados Unidos costumam subestimar seus inimigos e, no caso da Coreia do Norte, Washington comete o mesmo erro.

    O colunista diz que é possível que Kim tivesse ordenado matar altos cargos norte-coreanos e é também provável que o líder norte-coreano tivesse ordenado assassinar seu irmão, Kim Jong-nam no território de um país estrangeiro.

    Não obstante, "essas ações horríveis e repugnantes" fazem parte do processo de consolidação de poder que o jovem líder vem realizando há vários anos, observou. Cristol. Além disso, Kim atua segundo as regras do seu país.

    "O sistema norte-coreano diz que ele é neto de um deus, e que todos devem 'obediência absoluta' à família de Kim. Então, ele pode fazer o que quiser. Se eu pensasse que tenho proveniência divina, é possível que tomasse o mesmo tipo de decisões", declarou Cristol.

    "Pode ser que Kim seja mau, mas ser mau não é a mesma coisa que ser irracional. No caso do presidente Donald Trump, ao contrário, pode-se argumentar que ele nem sempre pensa com clareza", destaca analista da CNN.

    Ao contrário das declarações emocionais de Trump, Kim está focado em apenas uma coisa, a sobrevivência do seu 'regime'. O jornalista afirma que, aparentemente, Kim pode ser muito menos perigoso para o mundo que o presidente dos Estados Unidos.

    No entanto, o jornalista acredita que não há razões para pensar que Trump poderá vencer o jogo contra Kim.

    Mesmo sem Trump, a imprevisibilidade e a volatilidade da situação na península da Coreia seria um motivo de grave preocupação. Mas nas circunstâncias atuais, com Trump na liderança dos Estados Unidos, a situação parece ainda mais assustadora, conclui Cristol.

    Tema:
    Tensão sem precedentes entre Coreia do Norte e EUA (186)

    Mais:

    'Segunda Guerra da Coreia': em que pode resultar?
    Pyongyang 'não ficará de braços cruzados' perante ameaças dos EUA
    O que irá impedir a guerra nuclear entre Pyongyang e Washington
    Tags:
    rivalidade, Kim Jong-un, Donald Trump, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik