09:19 28 Maio 2017
Ouvir Rádio
    Destroços na província síria de Idlib, uma das mais afetadas pelos conflitos no país

    Rússia recusa acusações de envolvimento em incidente de Idlib

    © REUTERS/ Ammar Abdullah
    Mundo
    URL curta
    4130380

    A Rússia recusa qualquer acusação de envolvimento no suposto ataque químico em Idlib, na Síria, segundo afirmou o enviado russo para a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) Aleksandr Shulgin.

    "Nós rejeitamos categoricamente as acusações contra nós de conivência nos trágicos eventos na Síria e de cumplicidade em um crime envolvendo o uso de armas químicas. Isso é uma mentira absoluta", disse Shulgin em discurso para o Conselho Executivo da OPAQ. De acordo com ele, Moscou espera que os especialistas da organização comecem a trabalhar na investigação desses eventos o mais rápido possível, no máximo até o próximo dia 22. 

    "Depois do que aconteceu em Idlib e da grande violação do direito internacional pelos Estados Unidos, que resultou em uma agressão contra a soberania da Síria, mais atraso é impossível."

    Shulgin destacou que a Rússia não vê obstáculos para que comecem imediatamente a investigar o incidente de Idlib, uma vez que o governo sírio já autorizou o acesso dos especialistas da OPAQ às áreas acusadas de terem sido utilizadas para guardar as supostas armas químicas que, segundo Washington, teriam sido utilizadas por Damasco contra civis no início deste mês. 

    Mais:

    CNN: EUA interceptam mensagens de militares sírios sobre ataque químico em Idlib
    Especialista explica por que ataque químico em Idlib não passou de encenação
    Incidente em Idlib deve ter investigação completa e imparcial, pedem Rússia e Irã
    Votação de resolução sobre ataque químico em Idlib é adiada pela ONU
    Tags:
    armas químicas, OPAQ, Aleksandr Shulgin, Damasco, Washington, EUA, Idlib, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik