16:10 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Manifestante pacifista mostra um cartaz contra o bombardeio no território sírio ordenado por Donald Trump, em Nova York, em 7 de abril de 2017

    O que Trump perdeu ao atacar base aérea síria?

    © AFP 2018 / Jewel SAMAD
    Mundo
    URL curta
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)
    40289

    Ao tomar a decisão de efetuar um ataque de mísseis contra o território sírio, o presidente dos EUA, Donald Trump, provocou o descontentamento de seus antigos apoiantes nas presidenciais, afirma o jornalista da edição The National Interest, Daniel McCarthy.

    Muitos dos simpatizantes do atual presidente que se agrupam em redor de Ron Paul e Pat Buchanan já lhe viraram as costas. Também se vê a desilusão que reina no portal Breitbart — um dos principais recursos apoiantes de Trump. Se o presidente ainda não perdeu a confiança do seu eleitorado, ele já está correndo um risco que isso aconteça, acredita o autor da The National Interest.

    Os eleitores de direita esperavam que Trump restringisse a imigração e rejeitasse a participação nas guerras no Oriente Médio, porém, por enquanto o presidente dos EUA não está cumprindo estas promessas, constatou McCarthy, frisando que, graças ao ataque contra a base aérea síria, Trump também ganhou novos simpatizantes, entre os quais estão Lindsey Graham e o falcão republicano John McCain.

    Trump praticamente não tem "margem de resistência", o que é indispensável para um político, e ele continua sendo o menos popular entre todos os últimos presidentes norte-americanos. Durante a campanha eleitoral e após a cerimônia de posse, Trump recebia um apoio sólido por parte do núcleo duro de seus apoiantes, e seria um passo político pouco razoável desiludi-los, dando preferência à estratégia de McCain, acredita o jornalista.

    Não será fácil para o presidente unir os apoiantes republicanos, porém, durante a campanha eleitoral ele já provou que é capaz de conseguir um apoio maciço dos eleitores. Para fazê-lo, o presidente deve, em primeiro lugar, manter a cabeça fria e se focar nos interesses do país, resumiu o autor.

    Na noite de quinta para sexta-feira (7), Donald Trump ordenou a realização de um ataque com misses de cruzeiro Tomahawk contra a base aérea síria de Shayrat, perto da cidade de Homs. O bombardeio foi anunciado pelas autoridades norte-americanas como uma resposta ao alegado uso de armas químicas na província de Idlib, do qual Washington tinha acusado o governo sírio sem apresentar quaisquer provas.

    Tema:
    Ataque norte-americano contra base aérea síria (82)

    Mais:

    Trump agradece apoio do líder sul-coreano aos ataques na Síria
    Casa Branca: Trump informou o Congresso dos EUA sobre o ataque à base aérea síria
    Mídia: Trump recebe plano de eliminação de Kim Jong-un
    Tags:
    mísseis de cruzeiro, ataque, Partido Republicano, Lindsey Graham, John McCain, Donald Trump, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik