02:28 24 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Presidente turco Recep Tayyip Erdogan discursa na cerimônia de entrega de prêmios em Ancara, Turquia, 3 de novembro de 2016

    Turquia recorrerá ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos após escândalo na Holanda

    © AFP 2019 / ADEM ALTAN
    Mundo
    URL curta
    486

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, prometeu recorrer ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos após o escândalo diplomático com a Holanda, informou a agência Reuters.

    Segundo a agência, Erdogan ameaçou adotar sanções diplomáticas contra os Países Baixos e "prometeu recorrer ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos após a proibição das apresentações dos ministros de Ancara" na Holanda.

    No sábado passado, as autoridades da Holanda não permitiram a aterrissagem da aeronave com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, que planejava participar de uma manifestação em Roterdã. O ministro planejava informar os cidadãos turcos naquele país das alterações constitucionais, que serão votadas durante o referendo, a ser realizado no dia 16 de abril na Turquia.   

    A ministra turca da Família e Assuntos Sociais, Fatma Betul Kaya, também tentou participar da manifestação nos Países Baixos. As autoridades holandesas, entretanto, interceptaram o veículo que transportava a ministra, que foi obrigada a abandonar os Países Baixos rumo à Alemanha, sob escolta policial, depois de esperar por uma hora a permissão para entrar no consulado turco em Roterdã.

    Erdogan prometeu adotar medidas em resposta às ações das autoridades holandesas. O ministério das Relações Exteriores da Turquia declarou que o embaixador da Holanda em Ancara, atualmente de férias, estaria proibido de retornar ao país. Já o ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, ao discursar em Metz, na França, classificou a Holanda de "capital do fascismo".

    Tags:
    diplomacia, crise, relações bilaterais, Tribunal Europeu de Direitos Humanos, Fatma Betul Kaya, Mevlut Cavusoglu, Recep Tayyip Erdogan, Holanda, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar