18:13 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Casa Branca (foto de arquivo)

    Porta-voz de Putin revela detalhes da conversa telefônica com Casa Branca

    © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais
    Mundo
    URL curta
    5202
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, é suficientemente pragmático para falar da necessidade de um diálogo entre a Rússia e os EUA, afirmou o porta-voz do líder russo, Dmitry Peskov, em uma entrevista ao canal de TV americano CNN.

    "Na verdade, ela [conversa telefônica] foi bastante promissora, ele é muito pragmático, quero dizer o presidente Trump. Ele não abafa o fato de não estar de acordo com a Rússia em muitas questões, mas ele é bastante pragmático para dizer que nós precisamos de conduzir um diálogo, de aproximar nossas posições para encontrar posições comuns", disse Peskov ao CNN, respondendo à questão sobre como decorreu a conversa entre o presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo americano Trump.

    "E, embora haja certos impasses em nossas relações, ele [Trump] diz que existe uma série de questões nas quais nós não conseguiremos chegar a um acordo, nunca conseguiremos chegar a um acordo com vocês, os russos. Mas ao mesmo tempo ele diz que devemos nos reunir e começar dialogando. Mas, infelizmente, para nós ainda não está claro quando é que este diálogo pode ser iniciado", frisou Peskov.

    A conversa telefônica entre Putin e Trump decorreu em 28 de janeiro de 2017. Fontes da administração de Trump e diplomatas ocidentais anônimos afirmaram à Associated Press que o presidente americano pode adiar temporariamente os planos que pressupõem o trabalho conjunto com a Rússia para combater o agrupamento terrorista Daesh e outras questões de segurança nacional.

    Vista do Kremlin de Moscou
    © Sputnik / Natalia Seliverstova
    Mais cedo, o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, que a "atmosfera emocional" que reina nos EUA em relação à Rússia, inclusive no que se trata da investigação ligada aos alegados contatos entre a equipe de Trump e diplomatas russos, leva ao agravamento do ambiente a à resistência à construção de um diálogo.

    Moscou, por sua vez, tem afirmado várias vezes que seria muito difícil consertar as relações russo-americanas desmoronadas pela administração do ex-presidente Barack Obama.

    Mais:

    Será que EUA tentaram grampear Putin?
    Marine Le Pen: Putin não fez nada para ser considerado 'assassino'
    Famosa revista americana lança edição com Putin e manchete em russo na capa
    Tags:
    conversa telefônica, Daesh, Kremlin, Casa Branca, Vladimir Putin, Donald Trump, Dmitry Peskov, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar