08:32 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    O presidente da Agência Mundial Antidoping (WADA), Craig Reedie

    Presidente da Agência Mundial Antidoping: carta do COI é 'traiçoeira'

    © AFP 2017/ JUSTIN TALLIS
    Mundo
    URL curta
    110

    O presidente da Agência Mundial Antidoping (WADA), Craig Reedie, chamou de “traiçoeira” a carta do Comitê Olímpico Internacional pela falta de evidências em muitos casos de uso de doping por esportistas russos, que foram alegadamente revelados pela comissão independente de Richard McLaren.

    Na semana passada, o COI divulgou no seu site oficial uma carta aberta do diretor executivo Christophe De Kepper. A carta trata da última sessão do comitê de 21 de fevereiro em Lausana em que WADA se comprometeu a ajudar federações esportivas internacionais na análise das provas do relatório de McLaren. WADA reconheceu que, em vários casos, as provas são insuficientes, acrescentando que muitas amostras de doping foram liquidadas em laboratórios de Moscow.

    "Eu não sabia que eles [COI] planejavam publicar a carta, pois eu estava certo que não eles não seriam traiçoeiros. A carta foi simplesmente improdutiva, pois WADA trabalhou junto à Agência Russa Antidoping (RUSADA) persistentemente e por muito tempo para reestabelecer o sistema de controle", disse Reedie, citado pelo insidethegames.

    Segundo o presidente da WADA, a publicação da carta "desfoca o fato de que McLaren denunciou o sistema governamental de doping, que envolveu o diretor da RUSADA, do Serviço Federal de Segurança, bem como funcionários e esportistas".

    McLaren apresentou a segunda parte do relatório da comissão sob a sua chefia em dezembro de 2016. O documento destaca que as amostras de testes antidoping de atletas russos, feitas na véspera das Olimpíadas em Sochi 2014, teriam sido manipuladas.

    Como resultado do documento, o Comitê Olímpico Internacional abriu processos disciplinares em relação a 28 esportistas, inclusive vencedores de ouro de Sochi, além de outros atletas russos, participantes das Olimpíadas em Londres (2012) e Vancouver (2010).

    Mais:

    EUA e Europa expressam sua opinião em relação à 'permissão' de doping
    Alto funcionário do COI: McLaren deve apresentar provas reais do uso de doping na Rússia
    Trump quer que Clinton faça testes de doping
    Tags:
    escândalo, doping, Jogos Olímpicos, RUSADA, WADA, Craig Reedie, Richard McLaren, Mundo, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik