06:27 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Sabrina de Sousa deixa a prisão, em Lisboa, acompanhada do seu advogado, Manuel Magalhães e Silva

    Portuguesa da CIA é libertada após perdão do presidente da Itália

    © REUTERS / Pedro Nunes
    Mundo
    URL curta
    224
    Nos siga no

    A ex-agente da CIA Sabrina de Sousa, que estava presa em Portugal aguardando extradição para a Itália, foi libertada nesta quarta-feira, um dia depois de ser perdoada parcialmente pelo presidente italiano Sergio Mattarela.

    Nascida na Índia mas com cidadanias portuguesa e norte-americana, a ex-espiã foi condenada em 2009, à revelia, pela justiça italiana, por participação no sequestro do clérigo egípcio Abu Omar, ocorrido em 2003, em Milão. Em 2015, acabou sendo detida em Lisboa quando tentava fugir para a cidade indiana de Goa. Embora tenha sempre se declarado inocente, ela seria extraditada hoje para a Itália. 

    O gesto de Mattarela levou as autoridades milanesas a revogarem a ordem de detenção expedida contra Sousa, o que levou à sua libertação. Com o perdão parcial do presidente italiano, a pena de quatro anos que pesava sobre ela passa agora para três anos. De acordo com o seu advogado, Manuel Magalhães e Silva, na prática, isso significa que a prisão da condenada poderia ser substituída por uma punição alternativa, como serviços comunitários, o que já está sendo requerido. 

    "É uma vitória. Significou que, ao fim de todos este anos, é possível que ela esteja finalmente livre. Valeu a pena vir para Portugal", disse o advogado, citado pela mídia portuguesa.

    Mais:

    Espiã russa perturba terroristas do Daesh
    Houthis detêm espião americano
    Autoridades portuguesas aguardam por espião Frederico Carvalhão Gil
    Tags:
    espiã, espião, sequestro, CIA, Sergio Mattarella, Abu Omar, Sabrina de Sousa, Manuel Magalhães e Silva, Egito, Goa, Milão, Lisboa, EUA, Índia, Portugal, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar