07:19 19 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    1260
    Nos siga no

    A cancelação do decreto sobre as emendas no Código Penal e de uma ordem de anistia não foi suficiente pra acalmar as manifestações antigovernamentais da Romênia, que levaram 600 mil pessoas às ruas neste domingo.

    A cancelação do decreto sobre as emendas no Código Penal e de uma ordem de anistia não foi suficiente pra acalmar as manifestações antigovernamentais da Romênia, que levaram 600 mil pessoas às ruas neste domingo. 

    São os maiores protestos de massa no país nos últimos 25 anos, quando a revolução romena pôs fim ao regime comunista em dezembro de 1989.

    Apesar das autoridades do país terem cedido à pressão das manifestações e terem revogado neste domingo (5) o decreto que anistiava uma série de presos por crime de corrupção, os manifestantes seguem nas ruas e agora pedem a renúncia do governo social-democrata do país. 

    Anteriormente, o governo romeno aprovou uma lei que descriminaliza alguns crimes de corrupção, gerando grandes manifestações em massa em Bucareste.

    © Sputnik
    Romênia tem protesto de 300 mil pessoas

    O decreto descriminalizaria alguns atos de corrupção e abuso de poder na Romênia, prevendo a despenalização de casos que causam um prejuízo não superior a 44 mil euros. 

    A decisão levou centenas de milhares de pessoas às ruas de Bucareste à meia-noite da última terça-feira, que não saíram das ruas desde então.

    A decisão de cancelar a medida foi tomada pelo Gabinete após a declaração do primeiro-ministro, Sorin Grindeanu, que afirmou que não queria a sociedade romena dividida.

    Mais:

    Para conter onda de protestos, Romênia vai revogar decreto polêmico
    Cerca de 300 mil saem às ruas na Romênia, em quarto dia de protestos
    Romênia tem os maiores protestos em massa desde a queda do comunismo
    Tags:
    manifestações, protestos, corrupção, Bucareste, Romênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar