09:44 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Forças ucranianas em Donetsk

    Forças ucranianas retomam bombardeios em Donetsk

    © Photo: AP/Sergei Chuzavkov
    Mundo
    URL curta
    Escalada da tensão militar na Ucrânia (32)
    12312

    As forças ucranianas retomaram neste domingo (5) os bombardeios pesados das áreas residenciais da cidade de Donetsk, em Donbass, levando tropas adicionais para as fronteiras das autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, no leste da Ucrânia.

    "As forças ucranianas usam armas pesadas contra as áreas residenciais de Donetsk, já dispararam mais de 50 vezes com armas proibidas pelo acordo de Minsk a partir das 16h10 [horário local], apesar do cumprimento do cessar-fogo do nosso lado", disse o vice-ministro da Defesa, Eduard Basurin a repórteres.

    Ele acrescentou que Kiev também começou a implantar tropas adicionais das Forças Armadas e da Guarda Nacional da Ucrânia nas fronteiras das regiões do leste ucraniano, o que poderia provar os preparativos da Ucrânia para uma ofensiva em grande escala contra as forças de Donbass, bem como para atividades de sabotagem contra a infra-estrutura civil na região.

    Anteriormente, durante o dia, um representante das autoridades de Donetsk havia dito à Sputnik que as forças de Kiev estavam bombardeando a vila de Zaitseve, perto da cidade de Horlivka, em Donbass.

    Recentemente, o conflito na região de Donetsk escalou de forma severa, resultando em mais de 40 pessoas mortas e mais de 100 feridos nos confrontos na última semana. 

    Tema:
    Escalada da tensão militar na Ucrânia (32)

    Mais:

    Moradores de Donetsk gravam missão da OSCE 'fugindo' da cidade (VÍDEO)
    Rússia investiga mortes de civis em Donetsk durante bombardeamentos
    Militares ucranianos bombardeiam civis em Donetsk em um 'ataque bárbaro'
    Ataques das forças da Ucrânia em Donetsk deixam mortos e feridos
    Tags:
    mortes, bombardeio, conflito, Eduard Basurin, Donetsk, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik