01:25 21 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Parte do assentamento israelense de Maale Adumim, em território ocupado na Cisjordânia

    Trump manda recado 'sutil' a Israel contra construção de novos assentamentos na Palestina

    © AFP 2018 / AHMAD GHARABLI
    Mundo
    URL curta
    231612

    A administração do presidente dos EUA Donald Trump acaba de dar um sinal de advertência tímido, mas significante, contra a política expansionista de Israel nos territórios ocupados da Palestina.

    A construção de novos assentamentos e a expansão dos que já foram construídos “pode não ajudar” a alcançar uma paz duradoura na região, disse a Casa Branca em comunicado à imprensa nesta quinta-feira (2).

    "Embora não acreditemos que a existência de assentamentos seja um impedimento para a paz, a construção de novos assentamentos ou a expansão dos assentamentos existentes além de suas fronteiras atuais pode não contribuir para alcançar esse objetivo", disse a nota.

    No início de janeiro, as autoridades israelenses aprovaram a construção de 2.500 unidades de habitação na Cisjordânia ocupada, apesar da resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em dezembro, que exortava Israel a cessar imediata e completamente todas as atividades de assentamento na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. 

    Além disso, na terça-feira (31) passada, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu aprovou a construção de mais de 3.000 novos assentamentos no território da Cisjordânia, além das 2.500 unidades aprovadas anteriormente.

    Uma das primeiras decisões tomadas por Trump em sua gestão foi convidar o premiê israelense para uma visita à Casa Branca. O novo governo norte-americano representa uma reaproximação clara com o tradicional aliado do país no Oriente Médio, e inclusive já iniciou os preparativos para mudar sua embaixada em Israel para Jerusalém, decisão que provocou indignação e ameaças por parte das autoridades palestinas.

    Atualmente, mais de 500 mil colonos judeus vivem na Cisjordânia, incluindo em Jerusalém Oriental, segundo dados da ONU. Os assentamentos são considerados ilegais pelas Nações Unidas, e o território da Cisjordânia é considerado território ocupado pelo Tribunal Internacional de Justiça.

    Mais:

    Administração de Obama envia U$ 221 milhões à Palestina nas últimas horas do mandato
    Rússia faz de tudo para que diálogo entre Israel e Palestina aconteça
    Palestina pede intervenção de Putin para impedir embaixada dos EUA em Jerusalém
    Obama: assentamentos de Israel impossibilitam a solução do conflito com Palestina
    Tags:
    ocupação, embaixada, construção, assentamentos, Benjamin Netanyahu, Donald Trump, Palestina, Cisjordânia, Jerusalém, EUA, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik