08:15 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    A iluminação do Palácio de Itamaraty em comemoração de 100 dias até os Jogos Olímpicos do Rio

    Brasil também está preocupado com o muro entre o México e EUA

    © AP Photo/ Eraldo Peres
    Mundo
    URL curta
    1813
    Nos siga no

    O governo brasileiro manifestou “preocupação” com a notícia de que o presidente dos EUA, Donald Trump, determinou a construção de um muro na fronteira com o México.

    Em nota à imprensa, o Itamaraty criticou a iniciativa. 

    A construção do polêmico muro tornou-se o pivô de uma crise entre os dois países vizinhos, com o presidente Enrique Peña Nieto cancelando, nesta quinta, o encontro que teria com Trump na próxima terça-feira (31). O presidente norte-americano, além disso, defende que o México pague pela construção.

    “A grande maioria dos países da América Latina mantém estreitos laços de amizade com o povo dos Estados Unidos. Por isso, o governo brasileiro recebeu com preocupação a ideia da construção de um muro para separar nações irmãs do nosso continente sem que haja consenso entre ambas”, informou o Itamaraty em nota.

    Donald assina ordem para construção de muro com México
    © AP Photo / Pablo Martinez Monsivais
    “O Brasil sempre se conduziu com base na firme crença de que as questões entre povos amigos – como é o caso de Estados Unidos e México – devem ser solucionadas pelo diálogo e pela construção de espaços de entendimento”, acrescentou o comunicado.

    Segundo comunicado da Casa Branca nesta quinta-feira (26), o presidente Donald Trump quer uma taxa de importação de 20% sobre todos os produtos mexicanos para financiar a construção do muro na fronteira entre os dois países.

    Mais:

    Estremecimento? Presidente do México quer cancelar viagem aos EUA após decisão sobre muro
    Trump: construção de muro com México começará em meses
    Trump: ‘Vamos construir o muro!’
    Tags:
    muro, Enrique Peña Nieto, Donald Trump, México, EUA, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar