20:30 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Símbolo da OTAN em Bruxelas

    OTAN é 'incapaz de desafiar a ameaça real do terrorismo internacional'

    © AP Photo / Virginia Mayo
    Mundo
    URL curta
    821
    Nos siga no

    A OTAN se mostra incapaz de lidar com ameaças como o terrorismo internacional e em vez disso, se foca na ilusória "ameaça russa", opina o analista político russo Aleksandr Perendzhiev.

    Perendzhiev, que é professor da Universidade de Economia Plekhanov, deu uma entrevista ao serviço russo da rádio Sputnik.

    "O que a OTAN representa hoje? O bloco nem sequer é um projeto comercial, mas uma fraude. Essencialmente, ele visa assegurar que certas pessoas se tornam mais ricas enquanto falam de uma ameaça que não existe. Ao mesmo tempo, a OTAN é incapaz de desafiar a ameaça real do terrorismo internacional. Além disso, quando um atentado terrorista ocorre, cada Estado-membro é obrigado a lidar com essa ameaça sozinho", explica Perendzhiev.

    Na opinião dele, a OTAN está construindo suas estratégias em torno do conceito de que a Rússia é cada vez mais "firme" e, consequentemente, representa uma ameaça aos seus vizinhos. Moscou tem negado tais argumentos repetidamente.

    Segundo o analista político, "existem elites europeias que tiram proveito de projetos como o da OTAN".

    Perendzhiev destaca que Washington não beneficia do fato de a OTAN continuar flutuando, acrescentando que a Aliança é mais um fardo do que um ativo.

    Ao mesmo tempo, o especialista aponta que "os EUA sofreram perdas imensas para manter esse projeto" e que a OTAN "não corresponde aos interesses nacionais americanos". Além disso, a Aliança contribuiu para o crescimento da dívida nacional dos EUA, aponta.

    Anteriormente, o presidente dos EUA Donald Trump qualificou de "obsoleta" a organização por ser incapaz de combater o terrorismo. Trump criticou os integrantes da OTAN por não terem destinado dois por cento de seu PIB à área da defesa. No ano passado, apenas os EUA, Grécia, Reino Unido, Estônia e Polônia cumpriram essa exigência.

    No entanto, Trump destacou que a Aliança é "muito importante" para ele. O novo secretário da Defesa dos EUA, James Mattis, também confirmou seus compromissos perante a OTAN.

    Mais:

    Moldávia quer que OTAN reconheça a neutralidade do país
    OTAN: com Trump no poder, EUA continuarão leais à Aliança
    Deixar de ser uma 'muleta' da OTAN: França exorta à independência da defesa europeia
    Tags:
    aliança, ameaça russa, fraude, PIB, terrorismo, OTAN, Donald Trump, Polônia, Estônia, Reino Unido, Grécia, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar