05:07 16 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Monumento, com o líder soviético Josef Stalin (à direita), o presidente dos EUA Franklin D Roosevelt (à esquerda) e o primeiro-ministro britânico Winston Churchill, os três líderes aliados, lado a lado na conferência Yalta, Crimeia.

    Líderes da Rússia, China e EUA são convidados a Crimeia para desenhar novo mundo

    © AFP 2019 / YURI LASHOV
    Mundo
    URL curta
    2111
    Nos siga no

    Ativistas da Crimeia convidaram os líderes da Rússia, dos EUA e da China para realizar uma segunda Conferência de Yalta para lançar as bases de uma nova ordem mundial.

    "Uma reunião dos líderes dos países dos quais o mundo depende é inevitável. Acreditamos que a conferência de Yalta 2.0 é possível, necessária e justificada", disse uma organização pública que promove a cooperação entre a Crimeia e a China.

    Segundo a organização, os acordos alcançados por Stalin, Roosevelt e Churchill em 1945 na Conferência de Yalta durante a Segunda Guerra Mundial se tornaram obsoletos. No mundo, estão sendo formados novos centros de poder e revistas as áreas de influência.

    "Os dogmas obsoletos e os estereótipos levam a uma crescente falta de entendimento, ao aumento da tensão internacional e ao surgimento e propagação de conflitos", disse a organização, destacando a inviabilidade do sistema de blocos locais.

    Os membros da organização acreditam que seria simbólico realizar a nova conferência no resort de Yalta.

    "Pedimos aos líderes dos países para se encontrarem na Crimeia, inspirando-se nas grandes realizações de seus antecessores, e lançarem as bases de uma nova ordem mundial que garanta a paz, a segurança, o desenvolvimento e a prosperidade", ressaltou.

    Especificamente, os ativistas convidam o presidente russo, Vladimir Putin, presidente dos EUA, Donald Trump e líder chinês, Xi Jinping.

    Mais:

    Será que Rússia, China e EUA podem se tornar os novos Três Grandes?
    Stalin ou Hitler, Rússia ou Daesh: EUA devem fazer de novo a escolha
    Pearl Harbor: como o inimigo derrotado se tornou aliado?
    Tags:
    ordem mundial, Xi Jinping, Donald Trump, Vladimir Putin, China, EUA, Rússia, Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar