10:02 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Delator Chelsea Manning

    Obama autoriza libertação de Chelsea Manning, presa por divulgar segredos do Exército

    © flickr.com/ torbakhopper
    Mundo
    URL curta
    1583

    Em seus últimos dias no cargo da presidência dos EUA, Barack Obama, aliviou as sentenças de 209 prisioneiros e perdoou 64 pessoas nesta terça-feira (17).

    A ex-militar transgênero Chelsea Manning, condenada a 35 anos de prisão por revelar segredos do Exército do país ao site Wikileaks, também foi contemplada pela decisão. A soldado, que ocupava o cargo de analista de inteligência do Exército, havia pedido a diminuição de sua pena ao presidente dos EUA em novembro.  

    Com a diminuição da pena, Manning será libertada em 17 de maio.

    Em agosto de 2013, Chelsea Manning, naquela altura conhecida como Bradley Manning, foi condenada a 35 anos de prisão por ter passado ao WikiLeaks 700 mil documentos secretos sobre os crimes dos militares norte-americanos no Afeganistão e no Iraque, quando trabalhava com informações confidenciais durante a guerra no Iraque.

    ​O Wikileaks comemorou a decisão de Obama de diminuir a pena de Manning de 35 para 7 anos, garantindo sua libertação em maio deste ano. 

    Mais:

    WikiLeaks: Assange concordou em ser extraditado para os EUA, se Obama anistiar Manning
    Confirmada tentativa de suicídio de transexual Chelsea Manning, ligada a WikiLeaks
    Tags:
    informações secretas, sentença, inteligência, Exército dos EUA, WikiLeaks, Chelsea Manning, Barack Obama, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik