05:18 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    18130
    Nos siga no

    Não há muito tempo, na Itália foram detidos dois hackers por apropriação de informações de milhares de italianos. Os hackers vêm deixando seus rastros por todo o país europeu: como é sabido por todos, a inteligência norte-americana grampeou o celular de Silvio Berlusconi.

    A segurança de informação se tornou um dos maiores problemas enfrentados pela Itália nos últimos tempos.

    O jornalista italiano e observador do jornal Il Giornale, Giampaolo Rossi, comentou à Sputnik Itália a situação atual:

    Sputnik Itália: Que os países espionam uns aos outros, não é uma novidade. Os EUA estavam ouvindo as ligações telefônicas de Merkel e Berlusconi. Mas, deste vez, não houve escândalo. Por quê?

    Giampaolo Rossi: Enfrentamos duas situações diferentes. Esses incidentes resultaram no verdadeiro escândalo: quando se soube que o celular de Merkel foi grampeado pela a inteligência dos EUA, retiraram o chefe da Agência Central da Inteligência dos EUA da Alemanha. Há um mês e meio, mais ou menos, o WikiLeaks publicou a informação sobre espionagem pelos cidadãos alemães que visavam combater o terrorismo. Essas medidas foram tomadas pela a Agência Federal de Investigação dos EUA, juntamente com os serviços da inteligência da Alemanha. Isso provocou mais um escândalo.

    Por que atualmente todos têm medo dos hackers russos inventados? Inventados com um propósito. Há duas razões principais. Nos dois últimos anos, a Rússia se tornou o participante mais sério das guerras cibernéticas. Nesta etapa histórica, o Ocidente não pode enfrentar a Rússia. Esse é um pretexto conveniente: hackers russos que sempre escapam, ninguém sabe onde estão ou os viu, tornaram-se boa justificativa para uma série de problemas norte-americanos. Por exemplo, a vitória de Trump e a derrota de Clinton.

    O problema é que agora, na "América democrática", a Inteligência tenta contestar os resultados das eleições. Caso Trump consiga tomar posse, isso significará que os EUA perderam o seu poder. Mas se ele se tornar presidente, os EUA não continuarão o mesmo, pois Trump mudará completamente o sistema.

    Na verdade, toda essa história de hackers e ameaça russa é somente um pretexto (político). É presenciada uma luta entre as duas "Américas": a antiga e a nova.

    SI: A Rússia começou a criar seus próprios servidores para se tornar independente do Google. Você acredita que a Europa possa tomar medidas semelhantes?

    GR: É difícil dizer. As autoridades (dos países membros da UE) tentam tratar esse assunto organizadamente. Muitos desses países, por exemplo, a Alemanha, estão em posições muito a frente. As tecnologias de ponta estão sendo desenvolvidas muito mais rapidamente do que podemos responder sobre a criação das mesmas…

    Ao controlar as correntes de informação, que podem conter os nossos e-mails, nossas ligações no Skype, é necessário saber os limites entre o direito de segurança e a liberdade.

    Mais:

    Rússia tem sofrido ataques hackers vindos do exterior
    Hackers russos de novo! Internet explode com vazamento do último episódio de Sherlock
    EUA: Congresso terá 'briefing confidencial' sobre 'hackers russos' na sexta-feira 13
    Trump depois de encontrar representantes da inteligência: hackers não afetaram as eleições
    Trump pede investigação do Congresso após NBC divulgar relatório sobre hackers russos
    Tags:
    escândalo, hackers russos, ciberataque, ameaça russa, Inteligência Nacional dos Estados Unidos, WikiLeaks, Donald Trump, Silvio Berlusconi, Angela Merkel, Alemanha, Rússia, Itália, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar