14:11 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente eleito dos EUA Donald Trump

    Trump pode acabar com sanções se Rússia ajudar na luta contra o terrorismo

    © REUTERS / Mark Kauzlarich
    Mundo
    URL curta
    883
    Nos siga no

    Donald Trump comentou em entrevista o futuro das sanções impostas contra a Rússia pelos EUA e as relações com a China.

    Em entrevista ao Wall Street Journal, o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, afirmou que manterá as sanções contra a Rússia, mas sugeriu que pode aliviar as medidas restritivas se Moscou provar que pode ajudar na luta contra o terrorismo e em outros objetivos importantes para os Estados Unidos.

    Ele observou, entretanto, que manterá intactas as sanções contra a Rússia impostas pela administração de Barack Obama "pelo menos por um período de tempo".  

    "Se nós nos entendemos e se a Rússia estiver realmente nos ajudando, porque alguém teria sanções se estiver realmente fazendo coisas boas?", disse Trump. 

    Ao comentar as relações com a China e com Taiwan, o republicano disse que não vai se comprometer com a política de "uma China" até que veja o progresso de Pequim em suas práticas comerciais e monetárias.

    Trump também demonstrou disposição de se reunir com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, após a cerimônia de posse, que será realizada em 20 de janeiro.

    O presidente dos EUA, Barack Obama, estendeu nesta sexta-feira (13) as sanções contra a Rússia por conta do conflito ucraniano por mais um ano. Além disso, foram prorrogadas também as sanções contra Cuba, Irã, Venezuela, Zimbábue, Ucrânia e Líbia. 

    Mais:

    Venezuela condena prorrogação das sanções norte-americanas
    Obama estende sanções contra Rússia por conta do conflito ucraniano
    Washington impõe sanções contra Exército da Síria
    Tags:
    terrorismo, sanções, Wall Street Journal, Barack Obama, Donald Trump, Venezuela, Ucrânia, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar