02:59 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Os participantes da Marcha Civil para Aleppo partiram de um campo de refugiados com bandeiras brancas nas mãos

    De Berlim até Aleppo: Marcha Civil une pessoas em ato de solidariedade ao povo sírio

    © AFP 2019 / Paul Zinken / dpa
    Mundo
    URL curta
    461

    Em entrevista à Sputnik Internacional, um dos organizadores da Marcha Civil para Aleppo, Sebastian Olenyi, referiu-se ao ato como mais uma oportunidade de chamar atenção de todos na busca de resolução da crise síria.

    Nesta segunda-feira (26), um grupo de ativistas deu início a uma marcha de quase 3 mil quilômetros, que vai de Berlim a Aleppo, exigindo paz para a Síria.

    Os participantes partiram de um campo de refugiados com bandeiras brancas nas mãos. Nelas, está escrito "Somos todos seres humanos".

    A chamada Marcha Civil para Aleppo foi organizada na tentativa de trazer paz aos cidadãos de Aleppo e outras cidades assediadas dentro e fora da Síria.

    O grupo reivindica a disponibilidade da ajuda humanitária internacional para os civis, a proteção dos direitos humanos, bem como a solução pacífica da crise síria.

    Até hoje, não se sabe certamente quanto tempo a Marcha levará, mas espera-se que a fase inicial, que vai até fronteira tcheca, leve cerca de duas semanas. O percurso continuará pela Europa do Leste e depois pela Turquia.

    Bandeiras brancas em mochilas no campo de Tempelhofer, antes da partida da Marcha solidária para Aleppo, saindo de Berlim, na Alemanha, em 26 de dezembro de 2016
    © AFP 2019 / Paul Zinken / dpa
    Bandeiras brancas em mochilas no campo de Tempelhofer, antes da partida da Marcha solidária para Aleppo, saindo de Berlim, na Alemanha, em 26 de dezembro de 2016

    Ao falar com a Sputnik Internacional, Sebastian Olenyi, um dos organizadores do evento e assessor de imprensa da Marcha para Aleppo, sublinhou especificamente a importância de pressionar crescentemente os políticos para que o impasse sírio atinja uma resolução pacífica.

    Ao ser perguntado sobre a possibilidade de sucesso da Marcha Civil para Aleppo, Olenyi realçou que "qualquer atenção e pressão política que pudermos aumentar nos políticos já pode ser tida como sucesso".

    Ele afirmou que os organizadores da Marcha estão apelando a todas as partes envolvidas no conflito sírio, bem como aos políticos europeus e estrangeiros em geral, para que intensifiquem seus esforços para resolver pacificamente o problema.

    "Também esperamos medidas racionais das pessoas sobre a questão à medida que avançarmos, inclusive na República Tcheca, Áustria, Eslovênia, Croácia, Sérvia, Macedônia, Grécia e Turquia", adiantou.

    Falando do feedback que as autoridades locais e o público deram a tal iniciativa, Olenyi frisou que há tanto apoiadores como opositores, mas isto não impedirá que os organizadores avancem com a campanha.

    "Não somos uma bala de prata [nesta situação], mas tentamos fazer todo o possível para dar nosso recado de esperança e pressionar as pessoas para que lutem pela melhor resolução na Síria", acrescentou.

    Em 16 de dezembro, o Centro para a Reconciliação na Síria russo afirmou que a operação do Exército Sírio para libertar os bairros orientais de Aleppo tinha terminado e as tropas governamentais sírias estavam eliminando os focos da resistência de militantes.

    As forças sírias anunciaram que Aleppo foi completamente libertada dos militantes em 22 de dezembro.

    Mais:

    Opinião: valas comuns em Aleppo confirmaram que Daesh e a oposição são iguais
    Pai da 'menina de Aleppo' Bana tem ligações com terroristas
    Assad: 'libertação de Aleppo é uma vitória da Rússia e do Irã'
    Tags:
    ação conjunta, resolução pacífica, solidariedade, marcha, Guerra Civil Síria, Aleppo, Síria, Europa, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar