05:23 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Imagem do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, publicada em um dos jornais chineses, Pequim, China, novembro de 2016

    Incidente com submersível dos EUA na China pode ser um sinal para Donald Trump

    © AFP 2019 / GREG BAKER
    Mundo
    URL curta
    13345
    Nos siga no

    Washington e Pequim chegaram a acordo sobre o retorno do drone submarino da Marinha dos EUA capturado no mar do Sul da China.

    O representante oficial do Ministério da Defesa da China Yang Yujun informou que Pequim decidiu "entregar o aparelho à parte norte-americano de modo estipulado". O incidente com drone coincidiu com um período de agravamento nas relações devido a uma série de declarações do presidente eleito dos EUA Donald Trump, opinou à Sputnik o especialista em assuntos chineses Mikhail Korstikov.

    Segundo o lado chinês, os marinheiros descobriram um "objeto não identificado" e o recolheram da água para "evitar possível perigo para segurança de navegação e das tripulações de navios de passagem". A guarnição do navio chinês tratou devidamente do objeto e, após estabelecer que o aparelho pertencia aos EUA, foi tomada a decisão de devolver o objeto aos proprietários. Esta é a versão dos acontecimentos oferecida pelo Ministério da Defesa chinês, lembrou o especialista russo.

    Por outro lado, as autoridades dos EUA divulgaram anteriormente um protesto contra a ilegal, em sua opinião, apreensão do drone. De acordo com as palavras do porta-voz do Pentágono Peter Cook, o drone norte-americano estava em águas internacionais sem violar as normas da Convenção da ONU sobre o Direito do Mar.

    Segundo os americanos, o aparelho era usado para medir a densidade, salinidade e outros indicadores do mar do Sul da China.

    "Eles [os indicadores] são necessários para a calibragem correta de radares hidroacústicos de navios e submarinos. O custo dele [do drone] é de 150 mil dólares e na sua essência o aparelho é um objeto civil que não tem grande valor militar. O senhor Cook especificou também que não poderiam surgir dúvidas a ninguém sobre a pertença do aparelho porque no corpo deste está escrito 'propriedade dos EUA'", disse o especialista à Sputnik China.

    Mesmo assim, o representante oficial do Ministério da Defesa chinês Yang Yujun declarou que infelizmente o lado americano decidiu "dramatizar a situação". Mas Pequim também tem suas próprias razões para dar mais atenção a casos destes. Falando à Sputnik China, Shen Shishun, chefe do Centro de Estudos do Pacífico Sul, disse:

    "O drone submarino americano estava nas águas do mar do Sul da China com o objetivo de cumprir tarefas militares, primeiramente para recolher dados sobre a atividade naval da China. Todos sabem que os EUA estão permanentemente vigiando as águas da China com os mais diversos meios."

    Mas a vigilância tem um sentido ainda mais profundo do que a simples segurança ou economia, acredita o especialista.

    "Após Trump ocupar o posto presidencial, as divergências entre os EUA e a China na questão do mar do Sul da China, que já se assumem como questões de princípio, podem se tornar ainda mais profundas. A chamada ‘livre navegação’ que os EUA, segundo declaram, estão protegendo no mar do Sul da China, na opinião da China é 'abuso'", disse.

    Também deve ser dito que o submersível foi capturado pelos marinheiros chineses fora da chamada "linha das nove raias", com a qual a China delimita as suas pretensões a 80% do mar do Sul da China. No verão de 2016 (inverno no hemisfério sul), o Tribunal de Haia decidiu que nenhum Estado pode reclamar estas águas, nem os rochedos dentro destas. Mas o veredito do tribunal foi rejeitado duramente por Pequim, enquanto os EUA o aceitaram e estão todo o tempo realizando no mar do Sul da China "operações para garantir a liberdade de navegação".

    "No passado, os EUA durante muito tempo fizeram no espaço marítimo tudo o que queriam. A China não tinha plenas capacidades para proteger seus interesses marítimos. Agora a China pode garantir a segurança das suas águas territoriais. Assim, o comportamento do lado chinês [no incidente com o drone] é bastante lógico e natural, mas para os EUA essa reação foi 'inesperada'", disse o especialista Shen Shishun.

    China retorna drone submarino aos EUA
    © Sputnik / Vitaly Podvitsky
    China retorna drone submarino aos EUA

    Mais:

    NI indica 5 locais de potenciais conflitos armados em 2017
    China anuncia que vai devolver drone submarino aos EUA, mas critica histeria de Washington
    Tags:
    drone, Marinha, Donald Trump, Mar do Sul da China, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar