23:56 05 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O chefe do Pentágono, Ashton Carter, durante a coletiva de imprensa com o presidente afegão, Ashraf Ghani, em Kabul

    Chefe do Pentágono faz balanço da presença dos EUA no Oriente Médio

    © AFP 2019 / NOORULLAH SHIRZADA
    Mundo
    URL curta
    4110
    Nos siga no

    Neste sábado (10), ao discursar em uma palestra sobre segurança regional na capital de Bahrein, Manama, o chefe do Pentágono, Ashton Carter, comunicou que 50 mil militares norte-americanos estão servindo no Oriente Médio, entre os quais 5 mil na Síria e no Iraque.

    "Na região do Oriente Médio há 50 mil militares norte-americanos, sendo que 5 mil deles estão servindo na Síria e no Iraque", frisou.

    Ele também fez lembrar o grande número de sistemas de defesa antimísseis capazes de repelir qualquer ameaça contra os aliados regionais dos EUA.

    Carter frisou que hoje em dia os EUA possuem "mais que nunca capacidades consideráveis".

    "Não há melhor alternativa que nós nesta região. Temos à nossa disposição forças com as quais podemos contar e continuamos fortalecendo nossa capacidade de combate, temos aqui nossos interesses e por isso não podemos nos afastar da região", destacou o chefe do Departamento de Defesa.

    Na sexta-feira (9) à noite, em Bahrein, foi inaugurada a conferência internacional sobre a segurança regional, denominada de Diálogo de Manama, da qual participam representantes de governos e especialistas de todos os países árabes, bem como do mundo ocidental.

    Mais:

    Pentágono elabora uma série de propostas inéditas a Trump para reforçar combate ao Daesh
    Departamento de Defesa dos EUA: Daesh planeja atacar países ocidentais
    Departamento de Estado dos EUA nega que mandou coordenadas de hospital russo na Síria
    Tags:
    conferência, segurança, Departamento de Defesa dos EUA, Pentágono, Ashton Carter, Bahrein, Iraque, Síria, EUA, Oriente Médio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar