06:05 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Pristina

    Trump pode pôr fim ao Kosovo

    Sputnik
    Mundo
    URL curta
    5112
    Nos siga no

    Com a eleição de Donald Trump ao posto de presidente norte-americano, Kosovo encara dificuldades.

    Entre as metas para o ano que vem da República do Kosovo, duas se destacam: receber o status de observador na ONU e atingir normalização das relações com Belgrado a nível presidencial.

    De acordo com especialistas, é importante compreender que o plano para 2017 foi estabelecido antes da realização das eleições presidenciais nos Estados Unidos, ou seja, quando muitos acreditavam que a vitória da candidata democrata Hillary Clinton era uma possibilidade certeira.

    O presidente do Kosovo, Hashim Thaci, felicitou o republicano Donald Trump pela vitória e, ao mesmo tempo, agradeceu a Hillary Clinton por tudo "que ela fez pelo Kosovo", frisando: as autoridades esperam que a política norte-americana não mude com relação ao Kosovo.

    Provavelmente, Prishtina ainda não esqueceu as palavras de Trump, quando ele se referiu ao Kosovo como "o quase-Estado das drogas".

    As autoridades e a União Europeia estão claramente interessadas em saber qual será a posição de Trump com relação ao Kosovo após sua posse, que será realizada em 20 de janeiro de 2017.

    Todo mundo sabe que sem o apoio dos EUA, a existência de Kosovo é posta em perigo.

    Chamas dos incêndios em resultado dos ataques aéreos da OTAN iluminam o céu de Belgrado, Iugoslávia, 24 de março de 1999
    © AP Photo / Dimitri Messinis
    Em geral, a maior parte da mídia no país balcânico se mostra esperançosa com relação à cooperação com os EUA. Por sua vez, Thaci enviou a Washington pessoas de sua confiança – o seus conselheiros nos assuntos de política externa e defesa.

    Além disso, Prishtina possui um "plano B" ligado ao possível apoio a UE e aliados na administração atual, mesmo com sua saída do poder.

    Os patronos do Kosovo na UE vão tentar pressionar Belgrado apresentando novas exigências para adesão da República à união, ou seja, continuarão reafirmando que Kosovo não faz parte do território sérvio.

    A jornalista Brankica Ristic escreveu para a Sputnik Sérvia:

    "Trump é homem de negócios. Ele com certeza questionará se Kosovo vale o dinheiro investido pleos EUA. Mais do que isso, Washington não vem investindo bilhões de dólares na economia e desenvolvimento industrial, mas no apoio ao Kosovo como um projeto político."

    Em entrevista à mídia sérvia, Vladislav Jovanovic, ex-embaixador da Iugoslávia na ONU sublinhou:

    "À Casa Branca chega um homem de negócios pragmático, que, ao invés de usar o modelo ideológico da família Clinton, vai fazer com os EUA dominem não através de guerras, mas por outros meios."

    Tags:
    política externa, Hashem Thaci, Donald Trump, Kosovo, União Europeia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar