18:52 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    123
    Nos siga no

    O governo da Colômbia e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) anunciaram um novo acordo de paz. A informação foi divulgada pelo porta-voz da equipe de negociação das FARC.

    "Vamos anunciar os avanços dos últimos dias e que alcançamos um novo acordo", disse o porta-voz, citado pelo porta El Heraldo. O novo pacto substituirá o acordo anterior que foi rejeitado pelos colombianos em um plebiscito realizado em outubro. 

    Com o fracasso da consulta, as partes mantiveram intensas negociações em Havana durante nove dias. 

    A implementação dos acordos de paz entre o governo e as FARC ficou suspensa após 50,21% da população colombiana ter votado contra o acordo em 2 de outubro. 49,78% foram a favor do acordo de paz. 

    "O governo nacional e as FARC, atendendo ao clamor dos colombianos de concretizar o seu desejo de paz e reconciliação, chegaram a um novo acordo final para o fim do conflito armado que integra mudanças, esclarecimentos e contribuições de diversos setores sociedade que revisamos uma a uma", afirmaram as partes em declaração conjunta neste sábado (12), em Havana.

    As partes convocaram os colombianos e a comunidade internacional "para acompanhar e apoiar este novo acordo", de modo que possa ser implementado rapidamente e "deixas a tragédia da guerra no passado".

    O governo colombiano e as FARC trabalham há quatro anos para pôr um fim no confronto armado que se arrasta há mais de meio século. 

    Mais:

    Senadores acham que Nobel da Paz para Juan Manuel Santos ajudará em acordo com FARC
    Governo colombiano volta a se reunir com FARC após rejeição popular do acordo de paz
    Presidente colombiano e líder das FARC assinam acordo de paz em Cartagena
    UE tira FARC de lista das organizações terroristas
    Colômbia: FARC iniciam debate para abandonar luta armada
    Tags:
    diálogo de paz, plebiscito, guerrilha, confronto, acordo, Negociação, FARC, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar