14:10 16 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau

    Primeiro-ministro do Canadá se diz pronto para renegociar termos do NAFTA com Trump

    © REUTERS / Chris Wattie
    Mundo
    URL curta
    610

    Justin Trudeau se disse aberto ao diálogo com o novo governo nos EUA. Exportações para os EUA representam 20% do PIB do Canadá.

    O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau disse nesta quinta-feira (10) que está disposto a renegociar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (NAFTA) com os Estados Unidos, se a nova administração republicana assim o desejar. 

    "Acho que é importante que estejamos abertos a falar sobre acordos comerciais", disse Trudeau em uma coletiva com jornalistas.

    Em vigor desde 1994, o NAFTA é um acordo de livre-comércio entre os EUA, Canadá e México com o objetivo de eliminar barreiras alfandegárias e facilitar o movimento de produtos e serviços entre os territórios dos países-membros.

    "Obviamente, qualquer acordo comercial pode ser melhorado, e na medida em que o presidente eleito dos Estados Unidos quiser ver melhorias no NAFTA, teremos prazer em sentar e conversar", disse o embaixador canadense David MacNaughton à rede de televisão CBC.

    O presidente-eleito Donald Trump, porém, classifica o NAFTA como "o pior acordo já assinado pelos Estados Unidos" e propôs medidas protecionistas para repatriar os empregos perdidos pelo livre comércio. As declarações causaram temor no governo mexicano, que já anunciou mudanças para evitar a volatilidade na economia do país.

     

    Mais:

    Governo do México anuncia alterações em leilões da dívida pós-eleições nos EUA
    Senado do México: Vitória de Trump coloca em risco todo o mundo
    Canadá pode facilitar concessão de residência para trabalhadores estrangeiros
    EUA querem cooperar com Canadá para investigar ataque hacker à WADA
    Tags:
    Nafta, Justin Trudeau, Donald Trump, Estados Unidos, Ottawa, México, Canadá
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar