17:04 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Teste de dois interceptadores do sistema norte-americano THAAD (Terminal High Altitude Area Defense)

    Comandante dos EUA na Coreia do Sul define prazo para instalação do THAAD

    © flickr.com/ U.S. Missile Defense Agency
    Mundo
    URL curta
    833

    O comandante das forças norte-americanas na Coreia do Sul deu um prazo nesta sexta-feira (4) para a implantação no país asiático de uma bateria do sistema antimíssil Defesa Terminal de Área de Alta Altitude (Terminal High Altitude Area Defense, THAAD, na sigla em inglês), segundo informou a agência de notícias Yonhap.

    De acordo com o comandante norte-americano Vincent Brooks, a bateria será implantada na Coreia do Sul em um prazo de oito a dez meses.

    O oficial fez a declaração em um café da manhã organizado em Seul por uma associação militar local, segundo informou a Yonhap.

    Representantes russos e chineses se reuniram na quinta-feira passada (27) para discutir a segurança na Ásia e demonstraram preocupação com o fato de que EUA e outros países possam estar usando o programa nuclear de Pyongyang como pretexto para alterar o equilíbrio de forças na região e impor medidas consideradas provocativas, como a instalação do THAAD. 

    O sistema norte-americano, fabricado pela Lockheed Martin, tem como função interceptar mísseis balísticos utilizando a abordagem "hit-to-kill", que consiste no choque entre dois objetos com o objetivo de destruir a ameaça. 

    Mais:

    Washington: EUA vão além da instalação do THAAD na Coreia do Sul
    Assunto delicado: THAAD na região do Pacífico promete criar problemas
    Rússia alerta que instalação do THAAD dificulta solução do conflito coreano
    Alguém quer jogar com eles? Coreia do Sul vai colocar seu THAAD em campo de golfe
    China se opõe à instalação do THAAD na Coreia do Sul
    Tags:
    programa nuclear, instalação, prazo, sistema antiaéreo, sistema de defesa, defesa antimísseis, mísseis, THAAD, Coreia do Norte, China, Rússia, Coreia do Sul, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik