01:22 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Manifestantes pedem respeito ao meio ambiente um dia antes da COP 21 em Paris

    Hora de agir: Acordo de Paris sobre mudanças climáticas entra em vigor

    © REUTERS/ Alessandro Bianchi
    Mundo
    URL curta
    132212

    O acordo global para combater as mudanças climáticas, alcançado em Paris no ano passado, entra oficialmente em vigor nesta sexta-feira (4), pressionando cerca de 200 países a começar a executar seus planos para reduzir suas emissões de gases do efeito estufa.

    "Este é um momento para comemorar", disse Patricia Espinosa, secretária executiva das Nações Unidas para Mudanças Climáticas. "É também um momento para olhar adiante com avaliação sóbria e vontade renovada sobre a tarefa à frente."

    ​O Acordo de Paris procura limpar a economia mundial dos combustíveis fósseis na segunda metade do século, limitando o aumento das temperaturas médias do mundo para "bem abaixo" de 2 graus Celsius em relação aos tempos pré-industriais.

    Segundo as Nações Unidas, as previsões são de que as emissões de gases do efeito estufa em 2030 estejam de 12 bilhões a 14 bilhões de toneladas acima do que seria necessário para manter o aquecimento global na meta acordada internacionalmente.

    Representantes de quase 200 países se reunirão na segunda-feira (7) em Marraquech, no Marrocos, e durante duas semanas discutirão os detalhes do acordo e as políticas, tecnologias e finanças necessárias para garantir que os objetivos de Paris sejam alcançados.

    Mais:

    Índia ratificou acordo de Paris sobre clima
    David Zee sobre Acordo da COP21: 'O clima é uma questão política'
    Governo russo aprova assinatura do acordo sobre clima de Paris
    Brasil teve papel mediador decisivo para Acordo Mundial do Clima na COP 21
    EUA e China formalizam acordo climático de Paris
    Tags:
    alterações climáticas, temperatura, emissões, mudança climática, efeito estufa, gases, aquecimento global, meta, redução, acordo, ONU, Marrakech, Marrocos, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik