02:32 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Tanques turcos perto da fronteira com a Síria, Turquia, 25 de agosto de 2016

    Turquia prepara grande ofensiva na fronteira com a Síria

    © AFP 2017/ BULENT KILIC
    Mundo
    URL curta
    214151212

    A Turquia parece estar se preparando para um ataque de grande escala contra grupos terroristas, inclusive em diversas frente simultaneamente. E, aparentemente, fará isso sem a coalizão internacional, mas com a Rússia e as forças sírias. É que afirma o tenente-general aposentado da Força Aérea turca, Erdogan Karakush, em entrevista à Sputnik.

    O ex-tenente-general e atual presidente da União Turca de oficiais aposentados afirmou que foi com este objetivo que o chefe do Estado Maior da Turquia visitou a Rússia, pois Moscou e Ancara estariam igualmente preocupados com os planos de Washington de reformatar o Oriente Médio de acordo com os próprios interesses.

    O especialista diz que "os Estados Unidos estão tentando realizar seu projeto no Oriente Médio chamado 'Grande Oriente Médio' e para este objetivo eles buscam usar o governo iraquiano. 

    "No entanto, a Turquia com suas ações no Iraque atrapalha os Estados Unidos, que tentam assumir sozinhos o controle de todo o Iraque. Washington entende que o atual governo iraquiano é fraco e tenta tirar vantagem disso para a realização do projeto 'Grande Oriente Médio', que prevê uma plena reformatação da região".

    "Os territórios curdos no Iraque encontram-se sob controle dos EUA. O governo iraquiano busca tomar Mossul sem o envolvimento dos militares turcos. Se isso ocorrer, então o Iraque acabará sob controle dos Estados Unidos, o que levará a sua fragmentação", complementa.    

    Segundo ele, a Rússia e a Turquia entendem perfeitamente o que buscam os Estados Unidos no Oriente Médio. Por isso, o chefe do Estado Maior da Turquia teria visitado a Rússia. 

    "Estou certo de que durante a reunião foram principalmente estas questões que foram discutidas. Nos últimos anos, as autoridades turcas fizeram uma série de importantes declarações em relação à Síria e à transferência de equipamento militar da Turquia para a fronteira com a Síria", observou. 

    Karakush também disse estar certo de que a Turquia em breve vai chegar a um acordo com Damasco, e a operação conjunta para a libertação de Raqqa dos militantes do Daesh (Estado Islâmico, proibido na Rússia) não vai demorar muito. "Uma vez que, em qualquer caso, seria impossível deixar Raqqa aos americanos", destacou. 

    "A Turquia está agora tentando negociar com a Rússia e levar a cabo a operação para a libertação de Raqqa, com o apoio das forças governamentais sírias. Tal cenário preservaria a integridade da Síria e permitiria ao governo sírio controlar um vasto território".

    Ao mesmo tempo, este seria um duro golpe contra o projeto americano 'Grande Oriente Médio'. Caso contrário, opina o especialista, se Ancara não conseguir negociar com Moscou e Damasco, sofrerá uma grande perda. 

    "Turquia começou a compreender isso e, obviamente, agora está realizando todos os esforços para unir forças com as forças russo-sírias", concluiu Karakush. 

    Mais:

    Turquia concluirá muralha, que a separa da Síria, em 2017
    EUA negam estar negociando zona de segurança na fronteira entre Turquia e Síria
    Turquia: operação militar no norte da Síria foi um sucesso
    General turco: Rússia e Turquia se aproximam na troca de inteligência sobre Síria
    Putin fala em postura conjunta sobre Síria e cooperação técnico-militar com a Turquia
    Tags:
    forças, especialista, libertação, ofensiva, Daesh, Estado Maior, Oriente Médio, Rússia, EUA, Mossul, Raqqa, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik