08:32 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU, Genebra, 2 de março de 2015

    EUA acabam comentando perda pela Rússia de lugar no Conselho de Direitos Humanos da ONU

    © AFP 2017/ RICHARD JUILLIART
    Mundo
    URL curta
    23017

    Depois de o representante oficial da Casa Branca Mark Toner ter declarado que não gostaria de comentar a perda por parte da Rússia do lugar no Conselho de Direitos Humanos da ONU, ele apresentou a posição oficial americana.

    Neste sábado (29), o diplomata americano disse durante um briefing para imprensa que não comentaria, porque considera que é preciso discutir os direitos humanos com aqueles países que têm uma "boa história de direitos humanos" e são estes que devem fazer parte do conselho das Nações Unidas que se ocupa de direitos humanos.

    "Nós não falamos das nossas preferências durante a votação fechada. Em geral, sem falar da Rússia, cremos que os membros da ONU devem escolher aqueles países [para ser incluídos no Conselho de Direitos Humanos] que têm uma boa história de direitos humanos para se tornarem membros do Conselho," declarou Toner.

    Na véspera, 28 de outubro, a Assembleia Geral da ONU escolheu 14 novos membros para o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas para os anos 2017-2019. Durante a votação a Rússia não recebeu o número de votos necessário para ser escolhida, obtendo 112 votos.

    O Brasil recebeu 137 votos e regressou a esse organismo após um ano de afastamento.

    Mais:

    Kremlin reage aos apelos de expulsar Rússia do Conselho de Direitos Humanos da ONU
    Tags:
    direitos humanos, Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, Mark Toner, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik