13:52 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Wikileaks Truck

    WikiLeaks: democratas planejavam publicar anúncios de emprego sexistas em nome de Trump

    © flickr.com / Steve Rhodes
    Mundo
    URL curta
    Eleições nos EUA (112)
    0 71

    O site WikiLeaks publicou a correspondência por e-mail de membros do Partido Democrata, dos quais pelo menos um fez parte da equipe de campanha de Hillary Clinton. Nos novos e-mails publicados, estava sendo discutida a elaboração de anúncios de emprego falsos de empresas do candidato republicano Donald Trump, que conteriam exigências sexistas.

    Segundo a correspondência, as candidatas às vagas de emprego não poderiam “ganhar peso enquanto trabalhassem” para a empresa e deveriam “saber mentir a idade, se o chefe achar que você é mais velha”.

    A descrição de um anúncio falso também dizia que na empresa “se mantinha um ambiente amistoso de trabalho”, no qual o chefe “poderia cumprimentar os colegas com beijos, ou tocar os funcionários durante negociações”.

    O autor da idéia dos anúncios enviou a proposta para o diretor de comunicação do Comitê Nacional do Partido Democrata, Luis Miranda, que respondeu não ter nada contra a iniciativa.

    No início de setembro, o fundador do Wikileaks, Julian Assange, prometeu, durante uma teleconferência, publicar até o final do ano “dados importantes” relativos a três países e às eleições nos EUA. 

    Tema:
    Eleições nos EUA (112)

    Mais:

    WikiLeaks: Clinton ameaça 'cercar a China com sistemas antimíssil'
    WikiLeaks: Clinton chama Arábia Saudita e Qatar de 'apoiadores financeiros' do Daesh
    WikiLeaks vaza 2º lote-bomba de e-mails da campanha de Hillary
    Exclusivo: Fontes do WikiLeaks enfrentam graves acusações após ataques contra CIA e FBI
    Clinton nega ter feito piada sobre atacar fundador do WikiLeaks com drone
    Tags:
    eleições, eleições nos EUA, WikiLeaks, Partido Democrata, Luis Miranda, Donald Trump, Hillary Clinton, Julian Assange, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar