15:20 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    0 203
    Nos siga no

    A parte oficial de visita dos deputados italianos à Crimeia começou com um passeio pelo centro da cidade de Simferopol e uma sessão de fotos junto a um dos monumentos.

    A delegação italiana está realizado uma visita de três dias à península russa da Crimeia. Entre os 18 deputados há representantes de cinco regiões italianas: Vêneto, Ligúria, Lombardia, Toscana, e Emília-Romanha.

    Os deputados tinham uma sessão de fotos junto ao monumento às "Pessoas corteses" em Simferopol. "Pessoas corteses" é a denominação popular atribuída aos militares do Diretório Principal de Inteligência do Estado-Maior da Rússia (GRU), fuzileiros navais e tropas de desembarque — estes efetivos garantiram a segurança durante a realização do referendo na Crimeia. O termo surgiu porque os efetivos eram especialmente corteses e corretos com a população local.

    "Nós apoiamos o referendo realizado na Crimeia, apoiamos o direito dos habitantes da península à autodeterminação e estamos muito surpreendidos por certas instituições europeias não compartilharem da nossa opinião de que o poder pertence ao povo e não a instituições abstratas", declarou o deputado de Vêneto Stefano Valdegamberi.

    Enquanto isso, o governo da Ucrânia continua considerando a Crimeia como território nacional temporariamente ocupado por forças estrangeiras. A autodeterminação da população da península também não foi reconhecida pelos países ocidentais, muitos dos quais adotaram sanções contra a Rússia.

    Preocupados com as consequências do assim chamado Euromaidan (protestos violentos em toda a Ucrânia, que tiveram lugar entre 2013 e 2014 e resultaram na chegada de forças nacionalistas e pró-europeias ao poder) os habitantes da Crimeia, russos em sua grande maioria, optaram por se separar da Ucrânia através de um referendo realizado em março de 2014. Mais de 96% dos habitantes da península apoiaram a sua reintegração na Rússia. O Ocidente chamou a votação de "anexação". Moscou declarou que o referendo foi realizado em plena conformidade com o direito internacional.

    As autoridades russas já declararam, em diversas ocasiões, que qualquer discussão sobre o novo estatuto da Crimeia está totalmente fora de questão.

    Mais:

    Deputados e empresários italianos desafiam sanções da UE e visitam Crimeia
    Rasmussen aconselha Poroshenko a não buscar o retorno imediato da Crimeia
    Tags:
    visita, Crimeia, Itália
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar