14:40 27 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Ajuda humanitária danificada por ataque ao comboio da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho em Aleppo, Síria

    Lavrov: Acusação sobre ataque russo a comboio humanitário em Aleppo é 'politicagem'

    © REUTERS / Ammar Abdullah
    Mundo
    URL curta
    1104

    O chanceler russo, Sergei Lavrov, disse hoje em entrevista à CNN que as acusações de Londres sobre um suposto bombardeio russo sobre um comboio humanitário em Aleppo não passa de politicagem não sustentada por fatos.

    Não há nenhuma prova para apoiar as reivindicações feitas pelos países ocidentais sobre o envolvimento alegado da Rússia no ataque a um comboio de ajuda humanitária em Aleppo, na Síria, disse o chanceler russo.

    Na terça-feira (11), o ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, disse que a Rússia tinha sido responsável por bombardear o comboio e que as imagens de satélite disponíveis ao público indicam que o ataque fora realizado dos céus e na escuridão. Ele acrescentou que, uma vez que o exército sírio não é capaz de realizar um ataque na escuridão, todas as evidências apontavam para a Rússia.

    "Bem, eu acho que todas as declarações têm que ser verificadas porque nós, exatamente como no caso das denúncias a respeito de ataques de hackers contra o Partido Democrata, nós nunca recebemos qualquer confirmação das acusações que recebemos. Temos pedido os fatos, temos insistido sobre a investigação do ataque ao comboio humanitário em Aleppo no dia 19 de setembro. E o que o meu amigo e colega Boris Johnson estava dizendo foi absolutamente politicagem", disse Lavrov à CNN.

    "Algum tipo de clareza deve ser introduzido em todas estas discussões. Estamos abertos para estas discussões, nós nunca cortamos conexões. Queremos discutir as coisas e chegar a alguma verdade em vez de acusar um ao outro sem qualquer justificativa”, acrescentou o chanceler.

    Segundo afirmou o ministro russo, qualquer um que tenha informações sobre o ataque deve submetê-las à ONU.

    Além disso, ele garantiu que a Rússia continuará a fazer “todas as precauções necessárias para aconselhar o exército sírio a ser muito específico e muito bem orientado” em suas ações contra a al-Nusra, e ressaltou que a lista de organizações terroristas do Conselho de Segurança das Nações Unidas deve ser "revisitada", uma vez que não inclui o grupo Ahrar al-Sham.

    Mais:

    Oposição síria bloqueia as saídas de Aleppo
    Exército Sírio destrói posto de comando terrorista em Aleppo
    UE anuncia iniciativa humanitária de emergência Aleppo
    Sem saída: Aleppo oriental está oficialmente sitiada
    Tags:
    comboio, ajuda humanitária, entrevista, ataque, bombardeio, CNN, Sergei Lavrov, Aleppo, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik