09:08 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    O chanceler russo, Sergei Lavrov, durante uma coletiva em fevereiro de 2016

    Lavrov: 'Ridículo' acreditar que a Rússia interfere nas eleições dos EUA

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Mundo
    URL curta
    0 74

    O chanceler russo, Sergei Lavrov, afastou as acusações de que seu país estaria interferindo na eleição presidencial dos EUA em entrevista à emissora CNN, dizendo que acreditar tais teorias é "ridículo".

    Falando com a jornalista Christiane Amanpour em Moscou, Lavrov disse ser "lisonjeiro" que os funcionários norte-americanos achem que a Rússia está interferindo na eleição, mas garantiu que as acusações são totalmente infundadas.

    Na semana passada, os EUA acusaram a Rússia de estar por trás de uma série de ataques hacker no país, incluindo invasões aos e-mails do Comitê Nacional Democrata, que tenta vencer a corrida eleitoral contra o republicano Donald Trump e levar Hillary Clinton para a Casa Branca.

    "É lisonjeiro, é claro, obter este tipo de atenção — para uma potência regional, como o presidente (dos EUA Barack) Obama nos chamou há algum tempo", disse Lavrov à CNN.

    "Agora todo mundo nos EUA está dizendo que é a Rússia que está comandando o debate presidencial", acrescentou ele, em referência às sugestões de Clinton de que Moscou estaria interessada em eleger Trump por supostas afinidades entre o magnata e o presidente russo, Vladimir Putin. "Nós não vimos um único fato único, uma única prova", rebateu o chanceler.

    Em um fórum de investimento em Moscou, o chefe de Estado russo afirmou, por sua vez, que não haveria nenhum interesse da Rússia em hackear os e-mails do Comitê Nacional Democrata, e repetiu que o Kremlin está disposto a trabalhar com o próximo presidente dos EUA “independentemente do resultado das eleições”, segundo relata a CNN.

    Mais:

    Obama diz que vai responder 'proporcionalmente' aos 'hackers de Moscou'
    Putin responde às acusações sobre ataques de hackers
    Tags:
    CNN, Sergei Lavrov, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik