03:03 24 Fevereiro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov e o Secretário de Estado norte-americano John Kerry na reunião bilateral nas margens da reunião dos ministros da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, Belgrado, Sérvia, 3 de dezembro de 2015

    Moscou alerta Kerry para consequência de suas acusações contra a Rússia

    © AFP 2018/ JONATHAN ERNST / POOL
    Mundo
    URL curta
    2505

    As declarações do Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, sobre a necessidade investigar “crimes de guerra da Rússia” na Síria são agravantes e carregam sérias consequências jurídicas, disse nesta sexta-feira (7) a porta-voz oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

    Hoje, mais cedo, Kerry acusou a Rússia e as autoridades sírias de ter praticado “crimes de guerra” em suas ações militares no país árabe e fez um apelo para que os mesmos sejam investigados pela comunidade internacional.

    “As declarações de Kerry são propaganda. Por trás dessa terminologia residem consequências jurídicas muito sérias e eu penso que Kerry usou todos esses termos para agravar a situação. Se falarmos em crimes de guerra, os representantes americanos deverão começar pelo Iraque. Depois passar para à Líbia e, necessariamente, ao Iêmen, descobrir o que aconteceu por lá. Quero dizer que é muito perigoso jogar com termos como estes, já que por trás de representantes carregam em seus ombros crimes reais de guerra” – disse a diplomata em entrevista à imprensa russa.

    Zakharova acrescentou que acusações de Kerry provêm do simples fato de “o lado americano não ter conseguido cumprir os acordos sobre o cessar-fogo” na Síria. “Eles mesmos nos disseram que eles não possuem instrumentos de pressão sobre a oposição” – concluiu a porta-voz da chancelaria russa.

    Mais:

    Lavrov disse para Kerry ser 'inadmissível tratar a Frente al-Nusra de modo indulgente'
    Moscou: EUA falharam e tentam culpar a Rússia
    Tags:
    crimes de guerra, acusações, consequências, Maria Zakharova, John Kerry, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik