15:24 24 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    121
    Nos siga no

    A primeira-ministra da Grã-Bretanha, Theresa May, declarou que não pretende aguardar as eleições parlamentares na Alemanha, que serão realizadas em setembro de 2017, para iniciar o processo formal de saída da União Europeia (UE), informou a agência Reuters.

    Bandeiras a favor do Brexit
    © AFP 2019 / Chris J Ratcliffe
    May, que deverá discursar neste domingo para os afiliados do governista Partido Conservador, disse que revogará a Lei das Comunidades Europeias, de 1972, através da qual o Direito da União Europeia se tornou parte integrante da legislação britânica. A política também negou a possibilidade de eleições antecipadas no país, alegando que isso resultaria em um ambiente “instável”. 

    “Durante o próximo discurso da rainha, apresentaremos o Grande Ato Revogatório, que excluirá a Lei das Comunidades Europeias da legislação”, cita a agência as palavras de May.

    Em declarações anteriores, May afirmou de modo reiterado que o processo de saída da UE não será iniciado este ano, ou seja, que o artigo 50 do Tratado de Lisboa só será acionado quando Londres achar conveniente. 

    O artigo 50 do Tratado de Lisboa sobre UE estabelece que todo estado-membro da UE pode decidir deixar o bloco. Para iniciar esse processo, o país deve informar Bruxelas de modo oficial sobre as suas intenções. A partir desse momento se começam as negociações para definir as condições da saída e o futuro das relações entre o país e o bloco.

    A Grã-Bretanha ainda não notificou Bruxelas de suas intenções.

    Mais:

    Premiê da Hungria, ao comentar Brexit, afirmou não existir um 'povo europeu'
    Primeira-ministra britânica pode iniciar Brexit sem aval do parlamento
    Processo de Brexit se adiantara até fim de 2019
    Pesquisa: mais da metade dos russos apoia o Brexit
    Escócia estuda a possibilidade de sair da Grã-Bretanha depois do Brexit
    Tags:
    Brexit, Tratado de Lisboa, Theresa May, UE, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar