19:18 21 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Soldado polonês durante os exercícios da OTAN na Polônia, 2016

    Ministro da Defesa da Polônia alerta para ameaça russa e política expansionista da China

    © AP Photo / Alik Keplicz
    Mundo
    URL curta
    6425

    Washington pode deslocar o mais rápido possível as suas tropas para Polônia, disse o ministro da Defesa da Polônia, Antoni Mecherevich, durante sua visita aos EUA.

    “Eu sei que, da parte americana, há prontidão e compromisso de iniciar o mais rápido possível o deslocamento das tropas para Polônia. Tanto a brigada de tanques, que ficará no território da Polônia, quanto as tropas que serão integradas em um batalhão e que cooperarão com outras tropas da OTAN”, disse Mecherevich, segundo a Agência de Imprensa Polaca (PAP). 

    Durante seu discurso no auditório da Universidade de Rutgers, em New Jersey, Mecherevich disse que as principiais ameaças enfrentadas pela Polônia e pelo resto do mundo são “o extremismo islâmico, a agressão russa e a política expansionista da China”.

    Durante a última cúpula da OTAN, realizada em Varsóvia, ficou decidido o aumento sem precederes da presença militar da aliança no Leste Europeu. Ainda em 2017, OTAN pretende deslocar para os países do Báltico e Polônia quatro batalhões multinacionais.

    O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou que a Rússia não se envolveria em um confrontação que está sendo imposta ao país pelos EUA, OTAN e UE, e que Moscou é capaz de garantir a segurança nacional e da população.

    Mais:

    EUA ainda estão escolhendo local para instalar suas tropas na Polônia
    OTAN implantará batalhões nos Estados Bálticos e na Polônia em 2017
    EUA enviarão mil soldados para apoiar missão da OTAN na Polônia
    Por que razão a Polônia quer forças da OTAN em seu território?
    Polônia espera reforço da segurança na Europa Central e Oriental
    Tags:
    presença militar, OTAN, Antoni Mecherevich, EUA, Rússia, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik