03:38 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Mundo
    URL curta
    28113
    Nos siga no

    O ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, declarou hoje (27), durante uma visita à Turquia, que a Rússia precisa ser pressionada para garantir o fim da violência e a resolução do conflito na Síria.

    “Devemos continuar o trabalho conjunto em nome da resolução da situação trágica na Síria e do apoio ao seu povo, que merece um futuro em que não haja lugar para a violência nem por parte do Daesh [Estado Islâmico – grupo terrorista proibido na Rússia e em diversos países], nem por parte do regime de Assad [presidente sírio]” – declarou Johnson.

    “Também dei a entender que nós devemos continuar pressionando a Rússia para contribuir com o fim do massacre, o retorno das partes à mesa de negociações e o fim da deflagração de violência por parte de pessoas próximas a Assad” – acrescentou Johnson.

    Apesar das alegações do ministro britânico, Moscou garante que o seu principal objetivo na Síria é justamente a regulação política do conflito, em que o destino de Assad deverá ser decidido pelo próprio povo daquele país.

    Além disso, o ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, já declarou diversas vezes que o Ocidente, liderado pelo EUA, “não está conseguindo dar conta de suas obrigações” no âmbito da luta contra o terrorismo.

    Mais:

    EUA: interesse cauteloso em manter contato com a Rússia sobre Síria
    Moscou publica texto do acordo entre EUA e Rússia sobre Síria
    Um ano depois: 'operação russa foi o salvamento da Síria'
    Tags:
    pressão, Boris Johnson, Síria, Rússia, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar