02:14 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Boeing 777 da Saudi Arabian Airlines isolado no aeroporto de Manila, nas Filipinas

    Piloto da Saudia causa confusão nas Filipinas após anunciar sequestro de avião

    © AP Photo /
    Mundo
    URL curta
    0 01

    Um piloto da companhia aérea Saudia, antiga Saudi Arabian Airlines, causou um verdadeiro caos no aeroporto de Manila ao dar um falso alarme pressionando sem querer o botão de aviso de sequestro da aeronave, informaram as autoridades das Filipinas nesta terça-feira.

    Segundo o gerente do aeroporto, Eddie Monreal, o voo SV872, com origem em Jidá, fez a chamada de socorro quando estava a cerca de 30 km da pista. As autoridades locais ainda teriam entrado em contato para confirmar a mensagem verbalmente, mas só após a aterrissagem os pilotos explicaram que o alarme havia sido disparado por engano.

    Devido ao mal-entendido, as forças de segurança mobilizaram um grande contingente e isolaram o avião, mantendo o protocolo de ameaça por cerca de duas horas. O Boeing 777 foi cercado e a polícia estabeleceu rapidamente um cordão de segurança em torno do aeroporto e postos de checagem em diferentes partes. 

    "Nós não podemos brincar com a segurança", disse Monreal.

    Quando finalmente conseguiram desembarcar, os passageiros informaram que tudo parecia normal e calmo dentro do avião, e tanto eles quanto os tripulantes só ficaram sabendo o que estava acontecendo quando foram informados por familiares, por telefone, sobre o suposto sequestro em curso. 

    A Autoridade de Aviação Civil das Filipinas decidiu abrir uma investigação para apurar os detalhes do incidente. Em comunicado, o órgão informou que se for comprovada a falha do piloto, ele será punido. 

    Mais:

    Avião de passageiros egípcio foi sequestrado
    Avião russo A321 pode ter sido sequestrado
    AO VIVO: Operação para liberar avião sequestrado no Chipre
    Tags:
    SV872, Boeing 777, Saudi Arabian Airlines, Saudia, Eddie Monreal, Arábia Saudita, Jidá, Manila, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik