03:38 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Vendedor em Seul assiste notícia sobre teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, 9 de setembro de 2016

    Moscou manifesta preocupação com teste nuclear norte-coreano

    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Mundo
    URL curta
    2222
    Nos siga no

    O vice ministro das Relações Exteriores da Rússia, Igor Morgulov, ao se reunir com o embaixador norte-coreano Kim Hyun Joong, manifestou preocupação com o recente teste nuclear, realizado por Pyongyang.

    "Vice-chanceler da Rússia, Igor Morgulov, convidou o embaixador norte-coreano na Rússia, Kim Hyun Joong, para uma audiência e, durante a conversa, expressou profunda preocupação com o novo teste nuclear da Coreia do Norte", informou a declaração do Ministério das Relações Exteriores russo.

    Ele também alertou que as ações de Pyongyang, "violaram as resoluções do Conselho de Segurança da ONU podem provocar uma escalada de tensões na península coreana".

    "Neste contexto, não haverá alternativa para a retomada das negociações para a resolução da questão nuclear e de outros temas na península coreana", especifica o comunicado.

    Coreia do Norte realizou, na sexta-feira, seu quinto teste nuclear desde 2006, e segundo, desde janeiro deste ano.

    É a primeira vez que o país asiático realiza dois testes nucleares no mesmo ano.

    Os testes nucleares anteriores de Pyongyang provocaram sanções internacionais e foram realizados em 2006, 2009, 2013 e no janeiro de 2016.

    Mais:

    Coreia do Norte realiza maior teste nuclear da sua história
    Obama condena testes nucleares da Coreia do Norte e promete mais sanções
    Exercícios da Coreia do Sul e EUA podiam impulsionar Pyongyang a fazer novo teste nuclear
    Governo brasileiro repudia teste nuclear da Coreia do Norte
    Comunidade internacional não consegue pôr freio na Coreia do Norte
    Tags:
    teste nuclear, relações internacionais, relações bilaterais, Igor Morgulov, Coreia do Norte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar