16:27 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    O presidente do Comitê Olímpico da Irlanda e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), Patrick Joseph Hickey.

    Membro do COI é preso por venda ilegal de ingressos no Rio

    © AFP 2019 / JACK GUEZ
    Mundo
    URL curta
    Detenções durante Rio 2016 (18)
    310
    Nos siga no

    O presidente do Comitê Olímpico da Irlanda e membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), Patrick Joseph Hickey, foi preso nesta quarta-feira (17) por suspeita de envolvimento com um esquema internacional de venda ilegal de ingressos.

    Ex-lutador de judô e membro do Comitê de Coordenação dos Jogos Rio 2016, Patrick Hickey foi preso em um hotel da Barra da Tijuca por suspeita de facilitar ação de cambistas, marketing de emboscada e formação de quadrilha. 

    Foi informado pela Delegacia de Defraudações que o Comitê Olímpico da Irlanda contratou para a venda de ingressos no país a empresa Pro 100. Esta repassou à empresa THG, que já está sendo investigada e cujo diretor, Kevin James Mallon, e uma funcionária da empresa, Bárbara Carnieri, já haviam sido presos em flagrante no dia 5 de agosto.

    Os ingressos para a abertura das Olimpíadas chegaram a ser vendidos por mais de U$ 8 mil. No entanto, sendo revelado o esquema da THG, ninguém que pagou conseguiu assistir à cerimônia. 

    A THG foi a empresa responsável pela venda oficial de ingressos para as Olimpíadas de 2012, em Londres, mas não estava credenciada para repassar ou vender entradas para os Jogos do Rio. 


    Tema:
    Detenções durante Rio 2016 (18)

    Mais:

    Irlandês é preso no Rio por venda ilegal de ingressos da cerimônia de abertura dos Jogos
    Mais de 1 milhão de ingressos à venda para os Jogos Olímpicos Rio 2016
    Polícia desarticula esquema de venda ilegal de ingressos para a Rio 2016
    Ingressos dos Jogos Paralímpicos estão à venda na internet a partir de R$ 10
    Tags:
    venda ilegal, Olimpíadas, ingressos, Rio 2016, Comité Olímpico Internacional (COI), Irlanda, Rio de Janeiro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar